sábado, 19 de março de 2005

Valia a pena pensar nisto...

Aquando de actos eleitorais, e na noite das eleições o país assite aos mais variados discursos, acabando muitos deles por se tornarem em “auto-elogios” do eventual trabalho desenvolvido por dirigentes locais, distritais e nacionais das estruturas.

Aqueles que estudam os resultados eleitorais, as suas variáveis e as condicionantes dos mesmos, atribuem à figura do candidato a primeiro ministro a conquista dos votos e a respectiva vitória.

Todavia, na noite da vitória, muitos são aqueles que puxam para si, os “louros” dos resultados eleitorais. Uns merecedores, quiçá outros injustos!

Em altura de vitórias todos estão de parabéns. Parece que todos cumpriram as suas obrigações, recebendo grandes e intensos apertos de mão, acompanhados de palmadas nas costas. Porém, será que os louros que alguns ostentam não estão embrulhados em erros, falhas e ausências, que foram esquecidos e silenciados na noite da vitória?

Permitirão as vitórias que os “menos bons” fiquem com os louros e reconhecimentos que não lhes são devidos?

Possibilitarão as vitórias, que os “menos bons” se sobreponham àqueles que no silêncio dos dias e das noites conquistam votos e organizam estruturas?

Será que nos partidos políticos a nível local, distrital e nacional há quem pense nisto?

Uma reflexão desta índole, não seria útil aos partidos políticos, com vista ao reforço da democracia e à afirmação da classe política junto dos cidadãos?


Sem comentários: