segunda-feira, 25 de abril de 2005

Volta CDS...

No rescaldo do congresso do CDS concluímos que o efeito surpresa que Telmo Correia pretendia ter, prolongando o anúncio da sua candidatura, o traiu. Mesmo tendo-se apresentado como candidato à liderança do CDS-PP por ter sentido "uma vontade forjada nas bases e nos militantes", e recusando críticas ao momento em que assumiu a sua disponibilidade. Porém, no final desta história, vemos que ou Telmo Correia não tinha as bases do partido consigo, ou as bases mudaram de ideias…

Assim, José Ribeiro e Castro venceu o Congresso. Afirmou-se espontânea e convictamente perante o Congresso, sem barreiras, estratégias os tropas por detrás de si. Depois da vitória consumada afirmou que quer fazer do CDS-PP "um partido mais interclassista, mais influente, mais forte". O que é que isto quer dizer na realidade, não sabemos. Contudo, estou satisfeito por neste fim de semana se ter fechado um ciclo. E que com o fecho deste, o CDS regresse à Democracia-Cristã, deixando de lado o populismo liberal de extrema direita que Paulo Portas evidenciava nas suas posições, palavras e acções.

Sem comentários: