domingo, 24 de julho de 2005

Politiquices à parte...

Repentinamente o país despertou para os ordenados elevados que os gestores de Institutos e empresas públicas ganham.

Levantam-se vozes contra os salários que estes nomeados

pelos governos auferem.

Recentemente choveram críticas à nomeação de Fernando Gomes, ex-Presidente da Câmara Municipal do Porto, para a administração da GALP.

Os críticos devem-se ter esquecido que o Porto deve a Fernando Gomes o Metro, o Parque da Cidade, o Porto 2001, a classificação pela UNESCO do Centro Histórico da cidade como Património Mundial da Humanidade,

a Casa da Música…

Além de ser licenciado em Economia e de ter gerido orçamentos camarários de milhões e milhões de euros por ano… Se um homem desta estripe não tem capacidades para integrar um Conselho de Administração da GALP,

em Portugal, quem terá?

Sem comentários: