domingo, 4 de janeiro de 2009

Exmos e Exmas...

Recentemente, recebi um email, com o título: Para que a plebe saiba.

Acho que acrescentado a esta lista, com 30 minutos de reflexão encontraríamos, no mundo económico, social e religioso, mudanças e alterações de funções de dezenas de destacáveis figuras de Portugal.

O que repugna não são os lugares que as pessoas ocupam, até porque, sendo habilitadas e formadas para desenvolverem a sua actividade profissional no sector privado, têm direito a exercê-la.

O que me choca são as situações em que as pessoas usaram de informação privilegiada, para posteriormente serem remunerados por um emprego face à sua eventual, “experiência”.

Todavia, fica aqui o teor do email recebido:

Fernando Nogueira:
Antes -Ministro da Presidência, Justiça e Defesa

Presidente do PSD
Agora - Presidente do BCP Angola

José de Oliveira e Costa:
Antes -Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais
Presidente do Banco Português de Negócios (BPN)

Agora: Preso pelas burlas no BPN

Rui Machete:
Antes - Ministro dos Assuntos Sociais
Depois - Presidente do Conselho Superior do BPN;

Presidente do Conselho Executivo da FLAD

Armando Vara:
Antes - Ministro adjunto do Primeiro Ministro
Agora - Vice-Presidente do BCP

Paulo Teixeira Pinto:
Antes - Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros
Depois: Presidente do BCP

Agora: Depois de 3 anos de trabalho saiu com 10 milhões de indemnização!

António Vitorino:
Antes -Ministro da Presidência e da Defesa
Agora -Vice-Presidente da PT Internacional;

Presidente da Assembleia Geral do Santander Totta

Celeste Cardona:
Antes - Ministra da Justiça
Agora - Vogal do CA da CGD

José Silveira Godinho:
Antes - Secretário de Estado das Finanças
Agora - Administrador do BES

João de Deus Pinheiro:
Antes - Ministro da Educação e Negócios Estrangeiros
Agora - Vogal do CA do Banco Privado Português (o banco dos ricos que faliu…).

Elias da Costa:
Antes - Secretário de Estado da Construção e Habitação -
Agora - Vogal do CA do BES

Ferreira do Amaral:
Antes - Ministro das Obras Públicas

(que atribuiu à Lusoponte todas as pontes a jusante de Vila Franca de Xira)
Agora - Presidente da Lusoponte, com quem o Estado tem de renegociar o contrato.

Sem comentários: