segunda-feira, 17 de agosto de 2009

No Ourém em Revista - Primeira decisão de Frazão!

“Floreiras embelezam praças

Foi uma das primeiras iniciativas do actual Presidente da Câmara, Vítor Frazão: providenciar a colocação de floreiras nas praças de Ourém e, em breve, também nas praças de Fátima.

O investimento da autarquia foi de cerca de 11 mil euros e implicou a instalação de 48 floreiras na cidade de Ourém. Em Fátima prevê-se gastar cerca de 12.500 euros em 41 floreiras.”

Sempre pensei que as primeiras iniciativas de um presidente de Câmara fossem actos relevantes para o município. Pelos vistos, para este foi a colocação de floreiras…

Incomoda-me, de facto, a necessidade de gastar um total de 13.500 euros em floreiras, depois de terem transformado os largos de Ourém e Fátima em pedreiras a céu aberto.

Deitaram árvores e arbustos abaixo. Cortaram-nos. Calcetaram tudo. Cometem o erro do projecto em duas cidades e agora gastam-se mais de dois mil contos em floreiras…

É este tipo de pensamento, face às reais necessidades do concelho que apregoam como continuadores da confiança e da obra feita junto dos oureenses?

Assim se percebem os quase 10 milhões de contos de passivo da Câmara Municipal…

3 comentários:

maria mar disse...

O k fizerem à praça dr Agostinho Albano de Almeida (junto ao cafe central) foi uma aberraçao! Esventraram toda akela zona das sombras e do verde que a animava, onde crianças brincavam e idosos por ali estavam à sombra.
Qt aos vasos, vieram tentar compensar a triste nudez desta terra no k respeita a jardins e zonas de lazer apelativas.
Last but not least: na conhecia este teu sinal de transito (talvez pq a mim na se aplica LOL)...nem 1 k está no inicio da r: Dr Antº Justiniano da Luz Preto, que autoriza o estacionamento em cima do passeio, (sabes porquê?) :)
tds os dias a aprender...

João Heitor disse...

A nudez Maria Mar não é só nas ruas...
A pior delas todas, é a de orientação...
Daí o sinal!
Em Ourém há muitos sinais onde se estaciona e não se pode. Veja-se em frente à nova Câmara...

mlu disse...

Nasci em Ourém há muuuuitos anos e o que me dói é terem acabado estupidamente com todos os espaços em que brinquei. Ainda se os tivessem melhorado!...Simplesmente,
destruiram, sem qualquer sensibilidade pela identidade da terra!