domingo, 12 de setembro de 2010

Há falta de empenho e dedicação...

Telma Monteiro conquistou a medalha de prata em Judo. Assim, hoje Portugal marcou pontos no tapete, mesmo que a selecção nacional tenha levado um banho de bola no hóquei frente à Espanha, com os resultados caseiros da selecção nacional, do Benfica e do Sporting que contrariam os milhões investidos em brasileiros, uruguaios, chilenos...

Assim, e com as dificuldades financeiras que o país atravessa, à porta da discussão do orçamento de estado e com o PSD a propor uma revisão constitucional, os portugueses preocupam-se com o emprego e a triologia de Fátima, Futebol e Fado volta a ganhar adeptos na faixa norte do país. Porquê? Porque no norte o Porto continua a marcar e a somar, a fé é a última coisa a perder, e o fado representa o triste cenário dos sulistas que agora querem pôr o pessoal a pagar as SCUT’S...

Deveres? Quais deveres. Falem é dos direitos que as pessoas têm: saúde gratuita; educação gratuita; apoios sociais; SCUT’S gratuitas; juros baixos; fuga ao IRS e ao IVA sempre que se conseguir...

Crise? Qual crise? Que se batam as bolas, que se cante e reze. Até lá e durante todos estes momentos, passam os minutos e até se esquecem os problemas da economia, das empresas e da sustentabilidade da produção nacional como contra-pesso às importações que aumentam a cada dia...

Há dias, numa conversa de ocasião, um esclarecido trabalhador dizia-me que se empenhava no trabalho e protegia o seu patrão para garantir o seu posto de trabalho. Não duvido que aquele homem será o último a ser despedido caso a empresa não consiga continuar a exportar a sua produção. Mas, também não duvido de que a maioria dos outros funcionários da empresa não pensam desta forma.

Continuar a fazer o mínimo e indispensável para somente justificar o emprego e o salário, foi “chão que já deu uvas”... Enganam-se os que pensam desta forma, e que se recostam na almofada do subsídio de desemprego. Até porque, com tantas pessoas a usufruir desta recurso, o estado e todos nós que descontamos, não seremos suficientes para tantos subsidio-dependentes. Não sendo a parte pelo todo ou vice-versa, valha-nos o judo, o salto em comprimento, o trialto... Como súmula (um conceito em voga) que nos valha o Atletismo onde os resultados se alcançam pelo esforço, dedicação, empenho, trabalho e suor daqueles que individualmente olham o céu com um objectivo em mente... e conseguem!

6 comentários:

mlu disse...

A construção de que falei no comentário ao "post" anterior é um conceito difícil e acho que a sociedade está, cada vez mais, virada para um só "tijolo" que é cada indivíduo. Iremos conseguir mudar isto?

mlu disse...

Agora é para brincar: a imagem deste "post" já é possível sem cirurgias nem nada disso. Aprendi há dias, na TV. O que uma pessoa aprende depois de velha!!!

Bjs.

maria mar disse...

Há falta de empenho e dedicação e tb falta de chá em muita gente, como se os empregos nascessem debaixo dos pés, e não houvesse outra gente com vontade de trabalhar e cumprir.
O pior é que ocupam postos de trabalho e sao dificeis de sacudir, como as carraças.

João Heitor disse...

Mlu,

Esse é o desafio da sociedade: inverter o individualismo que referes.
Ah, e essa teoria de se conseguir fazer tudo em pé, claro que é possível. As mulheres têm muitas capacidades! :)

Beijinhos

João Heitor disse...

Maria Mar,

Essa falta de chá e de noção do que é o limite do aceitável, só mesmo com uma (outra) revolução vai ao sitio...
E não é o sitio da Nazaré, é mesmo o sitio das pessoas...

;) Um beijinho

Anónimo disse...

Um post com muita qualidade.

Continua a escrever assim...

Mil Beijos

PCMT