segunda-feira, 23 de julho de 2012

Lei do Encerramento Municipal III


O governo continua inconsciente. Continua a insistir com a Lei dos Compromissos e a comprometer os transportes escolares, as actividades extra-curriculares, as refeições e os subsídios escolares dos alunos do próximo ano lectivo.

Não se compreende esta insensibilidade dos ministros e do PSD ao não garantirem os transportes escolares. Então como irão os alunos para a escola? A pé, dezenas de quilómetros depois de ter sido o próprio Estado a encerrar algumas escolas?!?

Não se compreende esta insensibilidade dos ministros e do PSD ao não garantirem as actividades extra-curriculares. Então como farão os pais sem actividades extra-curriculares quando os filhos saírem da escola às 15h e 30? Viram-se para a sua entidade patronal e dizem: vou ali buscar os meus filhos à escola e volto já? 

Não se compreende esta insensibilidade dos ministros e do PSD ao não garantirem as refeições e os subsídios escolares dos alunos. Vamos voltar a ter alunos com fome nas escolas e sem comer como nos tempos idos da ditadura?

Em Ourém, como na esmagadora maioria dos municípios portugueses tivemos de parar com algumas obras que já se encontravam para avançar ainda este ano. Exemplos:

1. A tão esperada e necessária requalificação da Avenida D. Nuno Álvares Pereira que ia avançar em conjunto com a Veolia com a substituição das condutas de água, parou;

2. A tão esperada requalificação do largo da R. Dr. Francisco Sá Carneiro que ia resolver problemas de escoamento de águas pluviais e o acesso à Escola Profissional, parou;

3. A tão esperada e reclamada construção de uma rotunda no acesso à zona industrial de Casal dos Frades e a requalificação de alguns acessos internos, parou;

4. A tão esperada requalificação dos acessos às lojas da entrada nascente da Avenida D. Nuno Álvares Pereira com alcatroamento, estacionamentos, ilha ecológica, passeios e colocação de duas lombas/passadeiras, parou.

O governo está a parar tudo. A parar a economia, a parar os serviços sociais, a parar os municípios, a cortar salários, a cortar nas pensões. Resultado: matará o resto da economia nacional. Vejam a Grécia como começou e como se encontra. Cortar no investimento deu na queda catastrófica do sector produtivo e numa subida vertiginosa do desemprego. É esta a receita que o governo PSD/CDS também nos quer dar? Cortem nas despesas centrais do Estado. Essas não farão tanta diferença aos portugueses. Deixem os Municípios em paz. Porque os autarcas, diariamente, dão a cara junto dos munícipes na defesa das necessidades das populações, pelo desenvolvimento dos concelhos. Abram os olhos!

João Heitor

Sem comentários: