terça-feira, 29 de novembro de 2005

Segurança...

Há que inventar, reinventar, criar, desenrascar, empinar, empilhar, com segurança...

domingo, 27 de novembro de 2005

Era uma vez...

Quatro funcionários públicos chamados Toda-a-Gente,
Alguém, Qualquer-Um e Ninguém.

Havia um trabalho importante para fazer e Toda-a-Gente tinha a
certeza que Alguém o faria.

Qualquer-Um podia fazê-lo, mas Ninguém o fez.
Alguém zangou-se porque era um trabalho para Toda-a-Gente.

Toda-a-Gente pensou que Qualquer-Um podia tê-lo feito,

mas Ninguém constatou que Toda-a-Gente não o faria.

No fim, Toda-a-Gente culpou Alguém, quando

Ninguém fez o que Qualquer-Um poderia ter feito.
Foi assim que apareceu o Deixa-Andar,

um quinto funcionário para evitar todos estes problemas...

sexta-feira, 25 de novembro de 2005

Pensamento V

“Nos momentos de crise,

só a inspiração é mais importante que o conhecimento”

quinta-feira, 24 de novembro de 2005

Escondido!

Ultimamente tenho andado escondido.

Não tanto como este soldado…

Mas, com uma vida de “caserna”, nesta guerra do dia a dia...

quarta-feira, 23 de novembro de 2005

terça-feira, 22 de novembro de 2005

segunda-feira, 21 de novembro de 2005

domingo, 20 de novembro de 2005

Grandes Homens V

Romancista que na primeira metade do século XX, inicia a sua obra em 1913 com os contos de Jardim das Tormentas e com o romance A Via Sinuosa, 1918, mantém a qualidade literária na maioria dos seus textos, publicados com regularidade e êxito junto do público e da crítica.

Andam Faunos pelos Bosques, 1926, A Casa Grande de Romarigães, 1957, O Malhadinhas e Quando os Lobos Uivam, 1958, representam tendências constantes da sua ficção:

um regionalismo que é apego à terra campesina e às suas gentes, sem perder universalidade nos seus caracteres e descrições;

uma ironia terna e complacente perante os vícios humanos comuns;

uma crítica violenta da opressão política e do fanatismo ideológico, uma atenção inebriada ao pulsar do torrão campestre, tanto como à vibração sensual do corpo no ser humano.

Aquilino Ribeiro

sábado, 19 de novembro de 2005

Sem medos...

Não há razão para termos medo das sombras.

Apenas indicam que em algum lugar próximo brilha a luz.

(Ruth Renkel)

sexta-feira, 18 de novembro de 2005

Obrigado Pai...

Pela educação e valores que me transmitiste ao longo da tua vida.

Pelo carinho e amor que de tuas mãos e olhar sempre recebi.

Onde quer que estejas, há dois lugares onde sempre estás:

no meu coração e no meu pensamento.

quinta-feira, 17 de novembro de 2005

Kit completo!

O pai chega a uma loja de brinquedos, querendo comprar uma boneca para a filha, e pergunta:

- Você tem alguma boneca da Barbie?

O vendedor responde:

- Temos sim! Três modelos: a Barbie havaiana, a Barbie holandesa e a Barbie divorciada.

- Quanto custam?

- A Barbie havaiana e a holandesa custam 45 euros.

Já a Barbie divorciada custa 300 euros.

- 300 euros! Mas porquê tanta diferença?!?

- É que ela já vem com a casa, o iate e o carro do Ken…

Fronteiras?

Existem limites para as forças naturais da vida?

terça-feira, 15 de novembro de 2005

Petróleo a quanto obrigas!

Para que algumas pessoas possam circular nas estradas, tendo em conta o preço dos combustíveis, há que poupar em algumas coisas…

Neste caso, foi mesmo na roupa…

segunda-feira, 14 de novembro de 2005

Siga!

Mesmo que os caminhos nos pareçam estreitos, há sempre um caminho.

Com sinal verde, ou não…

Quem lá vem?!?

sexta-feira, 11 de novembro de 2005

Beijo...

Um beijo…

Inocente, desejado…

Talvez este, por muitos criticado.

Mas, não deixa de ser trocado…

quinta-feira, 10 de novembro de 2005

Tempo...

O tempo, de dia com o sol e à noite no emergir da lua, tem marcado os dias…

Tem-me faltado algum tempo para mais vezes por aqui passar, reflectir e dissertar sobre tudo e sobre nada.

Agora que fui aceite num Mestrado e mais as aulas, esse maldito tempo prende-me umas vezes, agarra-me noutras…

terça-feira, 8 de novembro de 2005

segunda-feira, 7 de novembro de 2005

Aos colegas de luta...

Esta imagem vai para o grupo de WebDesing e Multimédia que está na formação de Ourém!

Só estivemos 2 dias juntos, mas senti que mais do que termos o desemprego como elemento comum, respirava-se a vontade de lutar e de ultrapassar as barreiras da vida… Força!

sábado, 5 de novembro de 2005

Semelhanças...

Como do mundo animal, há imagens que nos transportam para os seres humanos…
E vice-versa...

sexta-feira, 4 de novembro de 2005

Amigos...

Ontem, durante a tarde recebi uma chamada de um amigo a felicitar-me pela minha colocação. Sim, este facto, nos dias que correm, é motivo de alegria! Ironicamente, perguntou-me se já havia notado que o meu destino era ir trabalhar para Santarém. Perguntei-lhe, porquê?

Disse-me que ele e outros amigos em comum, conterrâneos e gentes da política esperavam que eu tivesse ido trabalhar para Santarém há alguns meses atrás, pelas minhas capacidades e provas dadas ao longo dos anos…

Felizmente, logo “mudou o disco” e proferiu que a minha ida para Santarém, leccionar e ensinar, prova que o meu valor não só reside na intervenção política, mas também no modo como trabalho e me dedico a qualquer função, lidando com simplicidade junto dos outros. E que estas características são intrínsecas da minha pessoa… Amigo é mesmo assim: exagera, por vezes, fazendo-nos crer que subimos “degraus de uma escada, que nós até desconhecemos”.

E “ser juiz em causa própria” também não fica bem...

Mas, as palavras dele confortaram-me o coração.

Como sabe bem ter amigos!

quinta-feira, 3 de novembro de 2005

Santarém

Vai ser por estas bandas que até Agosto de 2006 exercerei a minha profissão.

A profissão que adquiri pelos estudos superiores que atingi.

Quero, com isto dizer, que fui colocado pela graduação que possuo, através do Ministério da Educação. A dar aulas, como professor. Profissão que muito me honra.

Vamos ver se lá há internet, para continuar a alimentar o Suplemento de Alma…

Porque este blog também tem sido, um lugar de evasão e de estados de alma...

quarta-feira, 2 de novembro de 2005

Pensamento IV

“O Homem comum é exigente com os outros.

O Homem inteligente é exigente consigo mesmo”

Marco Aurélio