sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Pela Positiva - Solidariedade em momentos difíceis!



Na noite de 18 para 19 de Janeiro a natureza encarregou-se de nos recordar que também ela faz parte do mundo. Do mundo que desejamos controlar à nossa maneira, mas que nos foge das mãos. A natureza relembrou que existem leitos de cheia, linhas de água, locais onde não devem existir habitações e unidades industriais, e, ao mesmo tempo, de colocar as nossas inovações tecnológicas ao nível da caneta e do papel, da água da fonte, da vela…

A Protecção Civil avisou que teríamos de estar alerta. Todavia, os piquetes da Câmara e dos Bombeiros não tiveram tréguas, numa luta desigual, por um extenso território onde as árvores, as casas e as vias ganharam uma diferente configuração.

Sob a coordenação do Presidente da Câmara o Serviço Municipal de Protecção Civil accionou cinco equipas de intervenção, com a colaboração da Ourémviva e da SRU Fátima, ajudando as dezenas de bombeiros e cidadãos que também já restabeleciam a normalidade, com condições climatéricas adversas e de força desigual. Limparam-se vias, concretizou-se o apoio a cidadãos, e coordenaram-se acções que facilitassem o trabalho da EDP, da PT, da VEOLIA, da GNR e da PSP.

Com árvores caídas e partidas, veículos destruídos, habitações, empresas e edifícios afectados a ausência de energia eléctrica, a ausência de água, a inexistência de comunicações deste mundo da fibra óptica dificultou a operacionalização que se desejava mais célere e eficaz.

Neste cenário de destruição que afetou todo o concelho o Presidente da Câmara convocou os Presidentes de Junta, os Bombeiros, a EDP, a PT, a VEOLIA, a SIMLIS, a SUMA, os Agrupamentos de Escola, a GNR, a PSP, a Direcção Regional de Agricultura, as Estradas de Portugal, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, a Segurança Social, os serviços municipais e as Empresas Municipais. Todos disseram: presente! Analisaram-se os problemas de imediato, traçaram-se estratégias de acção para os próximos dias, semanas e meses, cara a cara entre eleitos, empresas, autoridades e serviços da administração governamental. A definição deste Plano de Intervenção pós catástrofe, como foi desenvolvida durante os incêndios de Setembro de 2012, prova que só de braço dado e em estreita articulação com todos, conseguimos ultrapassar as dificuldades existentes.

Destaca-se uma vez mais a forma cooperante e abnegada com que os cidadãos se apresentaram lado a lado com os bombeiros, forças de segurança, funcionários municipais e funcionários das empresas municipais. Ourém conta com a solidariedade das suas gentes, dos seus eleitos, dos seus dirigentes e respectivas instituições

João Heitor

Pela Positiva - IC9




O Padre António Pereira escreveu recentemente e com a abertura do IC9 que “Fátima e o concelho no seu todo está a viver uma autêntica “revolução””.

Efetivamente, como referiu o Padre António Pereira, o IC9 veio revolucionar a circulação rodoviária, criando novas rotas e fortalecendo outras. A economia local ganhou escala. As fronteiras geográficas que a Serra de Aire impunha e nos colocava a grande distância de Batalha, Porto de Mós, Alcobaça foram reduzidas. A mobilidade concretizou-se com a região com quem, realmente nos relacionamos – o distrito de Leira.

Há ainda algumas correções, restabelecimentos e criações de acessos pedonais e de colocação de sinalização por parte do empreiteiro, que estão a ser solicitadas pelo Município de Ourém.

Ainda que o traçado do IC9 não tenha obtido, por parte das Estradas de Portugal, a ligação desta via à A1 em Santa Catarina da Serra, conforme solicitado pela Câmara e Assembleia Municipal de Ourém, não podemos ignorar a mais-valia do IC9 face ao isolamento que padecíamos.

Todavia, a ligação à A1 será um projeto a reivindicar junto do novo governo de Portugal. Não só pela importância desta ligação, mas também pela sensibilidade que acreditamos existir por novos protagonistas nacionais.

Como referiu o ilustre Padre António Pereira “vive-se, na nossa região um momento ímpar de progresso que engrandece os responsáveis pelo poder local”. Este progresso, este avanço que se conquista em nome do concelho de Ourém e do reforço da região de Leiria rasga horizontes, abre novas oportunidades de promoção turística, de desenvolvimento económico, de complementaridade da coesão social e humana.

É desta forma clara e objetiva, empenhada e responsável, que se escreve a história, que se consolida o potencial, que se cumpre o prometido e se enobrece aqueles que na gestão pública defendem e lutam por mais qualidade de vida para todos. Ourém continua a marcar pela positiva.

João Heitor

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Escola Secundária de Ourém



Pela positiva… 

O ensino é um dos sectores mundiais que mais dinheiro movimenta. Para que tenhamos uma ideia, as universidades inglesas têm apostado na afirmação da formação que ministram, cativando, assim, mais de 80 porcento dos seus alunos que são oriundos do resto do mundo.

A aposta no ensino arroga não só a formação dos nossos jovens, mas também a capacidade de o internacionalizar junto dos países em vias de desenvolvimento. Uma das maiores riquezas do nosso país é a língua portuguesa. A existência de milhões de potenciais “clientes” nos Países de Língua Oficial Portuguesa é um “mercado” que urge explorar e potenciar.

Em 2011 “ganhámos” uma “nova” Escola Secundária em Ourém. Poucas são as pessoas que registam na sua memória a inauguração de uma Escola Secundária no concelho onde residem. Para a concretização deste objectivo muito contribuiu o empenho da Direcção do Agrupamento liderado pela eng.ª Isabel Baptista, pelo (à data da decisão) deputado António Gameiro e pelo (à data da decisão) Governador Civil de Santarém, Paulo Fonseca. Deixa-se o registo, para memória futura, pelo esforço desenvolvido por estes protagonistas, facto que honra todos os ourienses.

A Escola Secundária de Ourém é hoje um edifício com salas multifuncionais, equipadas com novos materiais, com diferentes espaços dotados de inovadores recursos que propiciam a concretização de um saber dinâmico, amplo e integrador. Em 2011, e pela mão de um governo do Partido Socialista, os alunos do concelho de Ourém passaram a pertencer a uma geração (e a outras subsequentes) que obteve uma aposta nacional. A aposta de um país que neles deposita a esperança do futuro, e a confiança de novas conquistas individuais em nome de todos nós.

Também o executivo municipal tem investido na educação. Nos últimos dois anos não só se concluíram os quatro Centros Escolares cuja primeira pedra foi lançada em 2009, como se criou um quinto Centro Escolar, e se iniciou ainda a construção de mais três, a abrir em Setembro deste ano em Freixianda, Olival e Seiça/Alburitel.

A construção de um Centro Escolar representa mais do que um novo edifício. Comporta a aposta no potencial da nossa terra – as pessoas, congrega a comunidade que no mesmo vai desenvolver a sua acção criando, simultaneamente, novas centralidades e dinâmicas locais.

Sabemos que, presentemente, este é o caminho a percorrer, e a aposta a consolidar. Por mais que alguns desejem o fracasso destes projectos, com as todas as dificuldades conhecidas, Ourém continua a marcar pela positiva…

João Heitor

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Agroal



Pela positiva…

Há quem continue a cair na prática caótica da crítica pela crítica, e, consumada, em cartas anónimas. A dignidade do exercício das funções públicas dos eleitos e dos funcionários municipais exige que se assegure a estabilidade da gestão do concelho, com paz e eficácia, pelas responsabilidades comuns.

Numa altura em que as notícias do país e do mundo nos angustiam, a cada dia que passa, importa relembrar realidades concelhias que nos últimos 3 anos foram alteradas, pela positiva, e que hoje garantem melhores condições de vida para os cidadãos do nosso concelho. Durante as últimas duas décadas ouvimos, lemos e assistimos a vários projectos relativos ao Agroal e a sua praia fluvial. Porém, só nos últimos anos esta localidade assistiu, efectivamente, à realização de obras.

Quem não se lembra do Agroal com casas abandonadas, com casas de banho e duches insuficientes, sem bolsas de estacionamento, sem saneamento básico, sem edifícios de apoio, divulgação e promoção, com acessos viários desregulados, sem vigilância, iluminação e o tanque da nascente em contínua degradação?

Hoje, e após o investimento realmente concretizado em obra nos últimos anos, a Praia Fluvial e o Centro de Interpretação do Alto Nabão, no Parque Natureza consolidam a requalificação dos espaços com uma oferta ambiental e lúdica que levou mais de 170 mil pessoas a visitar e usufruir, na última época balnear do nosso Agroal numa dinâmica de turismo que se pretende qualificar e abrir à descoberta da natureza.

Assim, importa registar que nos últimos 3 anos se levou a distribuição de água domiciliária e saneamento a este ícone ambiental do nosso concelho num registo de coerência com o seu valor patrimonial integrado na Rede Natura 2000 da União Europeia.  

Alargaram-se algumas bermas na estrada de acesso, garantiu-se a vigilância através de nadadores salvadores durante a época balnear, disponibilizaram-se novas casas de banho e balneários, uma cafetaria, edifícios de apoio, acessos rodoviários e pedonais regulados, iluminação pública, o tanque balnear requalificado e vários espaços verdes na envolvente ao serviço de todos.

Com rigor e sensibilidade é, também este, o trabalho que se tem desenvolvido, concluído e aperfeiçoado pela dialéctica das nossas potencialidades e características. Ourém marca pela positiva!

João Heitor