segunda-feira, 31 de maio de 2010

Vinagre, etanol ou sumo de laranja...?

Já várias pessoas me aconselharam a utilizar outro material, que não o vinagre, para apanhar moscas.

A metáfora seria sempre aplicável se de pessoas se tratasse.

Como ser pessoa pressupõe um nível de qualidade humana que não está ao alcance de qualquer um, não é com vinagre ou com qualquer outro líquido que se consegue algo.

Mas, não há nada como o fogo. Para que depois das cinzas renasçam as boas sementes...

Que fazer de mim? Nada. Sou mesmo assim.

Digo o que penso e escrevo o que digo.

Não acredito na paz podre, nem na conversão de hereges para católicos.

Felizmente consigo distinguir aqueles que hoje falam, dos mesmos que durante anos se serviram no silêncio das boas práticas do “coça para dentro”.

Se sou inconveniente para alguns Dr. e Eng. instalados nas suas divisas?

Talvez.

Mas, também foi para isso que se votou numa mudança…

Gente falsa...

Falsos… como Judas de Kariotes… eles andam aí…

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Solidariedade...

Essa palavra que tão cara tem saído aos bravos da humanidade.

Essa palavra pela qual a história tem escrito história.

Essa palavra que existe nas vértebras de boas pessoas, e que é desconhecida de muita gente.

Essa palavra que faz falta efectivar a cada momento, quando dela se esquecem na essência do seu âmago.

Sem que alguém possa ser dono da verdadeira solidariedade, racionalmente podemos entender que existem diversas dimensões solidárias, diversas concepções sobre o conteúdo da palavra, que vão muito para além das letras do alfabeto, e da fonética de uma gramática.

Há lições de vida, que só mesmo a lei da natureza fará mostrar a muita gente, de que a vida é feita…

Não fumo, obrigado!

A partilha da informação flui a cada segundo do dia, pela internet, pelos telemóveis, pela partilha de ficheiros informáticos.

O papel, dos livros e dos jornais, tem resistido aos avanços tecnológicos, às ameaças constantes que se juntam às dificuldades financeiras de livrarias, jornais, tipografias e projectos.

Cada vez mais os projectos distritais e regionais ganham mais acuidade, mais dimensão, mais protagonismo.

Vejam-se as comunidades urbanas, as associações distritais…

E também no jornalismo, marcam pontos os jornais que chegam a um público mais heterogéneo, mais numeroso.

Os jornais Mirante e Jornal de Leiria são disso um bom exemplo relativamente ao concelho de Ourém. Usam a internet como motor de divulgação, noticiam no momento, reproduzem a informação colhida e usam da coerência jornalística um percurso de afirmação.

Curiosamente, estes jornais divulgam actividades e informações sobre o concelho de Ourém que os jornais do concelho menosprezam.

Estranha-se porque é que o que uns revelam e disponibilizam, é esquecido pelos, teoricamente, mais interessados…

quarta-feira, 12 de maio de 2010

É preciso continuar a acreditar em Portugal!

Os destaques de hoje do INE e Eurostat relativos ao crescimento da economia no 1º trimestre de 2010.

Portugal apresenta o maior crescimento da UE em termos de variação trimestral (1,0%) e o segundo maior em termos de variação homóloga (1,7%)

Em termos trimestrais:

Portugal apresenta o maior crescimento económico (1,0%) de toda a UE.

Portugal cresce cinco vezes mais que a UE e Zona Euro (ambas com crescimento de 0,2%)

Na zona euro, a Grécia continua em recessão (-0,8%).

Espanha e França apresentam crescimentos de 0,1% e Alemanha de 0,2%

Em termos homólogos:

Portugal apresenta o maior crescimento da zona euro e o segundo maior de toda a UE (a Eslováquia apresenta o maior crescimento ressalvando-se, no entanto, que os dados deste Estado não estão ajustados da sazonalidade) .

Portugal cresce mais do triplo da zona euro (0,5%) e cinco vezes mais que a toda a UE.

Portugal apresenta um crescimento positivo da economia, após 5 trimestres de crescimentos negativos (desde o 4º trimestre de 2008 que o crescimento do PIB português era negativo).

Na zona euro, Grécia e Espanha continuam a apresentar crescimentos negativos (-2,3% e -1,3%, respectivamente).

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Fernando Nobre?

Manuel Alegre ou Fernando Nobre?

Entre um poeta e um médico. Entre um militante ou um apartidário. Entre um repetente e um estreante.

Tenho dúvidas.

Admiro Manuel Alegre pelo percurso de vida e pela escrita.

Respeito Fernando Nobre pela dedicação aos mais necessitados e pela exemplar intervenção cívica.

Se me perguntassem hoje em quem votaria, inclinar-me-ia para Fernando Nobre.