sábado, 30 de dezembro de 2006

sexta-feira, 29 de dezembro de 2006

Chá, por exemplo...

A última gota…

A última gota pode ser a mais doce, ou a mais amarga.

Será sempre uma imagem de satisfação…

Café? Não. Talvez de outra bebida, ou imaginação…

domingo, 24 de dezembro de 2006

sábado, 23 de dezembro de 2006

Diferenças de escolhas

Bush quer mandar mais tropas para o Iraque.

Mas, pelos vistos os iraquinanos preferem outra coisa…

quinta-feira, 21 de dezembro de 2006

Ano do Porco

Segundo informações fidedignas, para o ano de 2007 os chineses adoptaram o Ano do Porco.

Com isto sabemos que o aumento de carne de aves e de vacas vai aumentar na China.

Acabam-se o “Porco Chop Soi” nos Restaurantes Chineses e algumas VIP’s portuguesas vão ser idolatradas se forem à China…

Desportos de Inverno

quarta-feira, 20 de dezembro de 2006

Mas, continuam...

Deprimente?

Talvez. Mas, real.

Pelo mundo fora a guerra ainda é uma dura realidade.

Preconizada pelo poder económico, político e pelo egoísmo de outros.

Nestes épocas natalícias, muitas palavras e acções solidárias acontecem e decorrem. Umas com máquinas fotográficas, outras no simples gesto de ajuda e luta contra as injustiças.

Mas, as guerras continuam este Natal.

Tal, como no anterior…

terça-feira, 19 de dezembro de 2006

Nem ao Diabo!

"No fundo, talvez não seja muito bom negócio vender a alma.

A alma, às vezes, faz falta."

Rubem Braga


Algumas verdades

Comentadores, articulistas, políticos e jornalistas, a par com algumas reformas radicais deste governo, baralham-nos os números das Contas Públicas.

Sobre Finanças Públicas não nos atrevemos a dissecar, sob pena de nos confundirmos. Todavia, algumas posições do actual governo levam-nos a reflectir sobre o porquê de determinadas reformas que estão em curso. Umas certas, outras demasiado exageradas, diremos.

Contudo, importa relembrar o défice elevado com que Pedro Santana Lopes deixou o país, depois de o ter herdado de Durão Barroso…

Recorrendo às tabelas do Banco de Portugal e do Eurostat analisamos a evolução do deficit público entre 1991 e 2004. Durante este período, Cavaco Silva foi primeiro-ministro de Portugal entre 1991 e 1995. Anos em que o défice andou entre os 3 e os 7%!!! António Guterres que governou entre 1996 e 2001, teve de cumprir o Pacto de Estabilidade e Crescimento, que se estabelecia e estabelece nos 3%. Foi com Sousa Franco como Ministro das Finanças, que o défice foi reduzido, sem recorrer a medidas extraordinárias, ou cortes abruptos.

Na governação de Guterres, os dirigentes do PSD profetizavam negros períodos e metas inatingíveis relativas à adesão ao €uro, entre outras. Felizmente, para o país, os pensadores e economistas Sociais Democratas falharam nas previsões!

Mais tarde, quando Durão Barroso foi eleito para liderar um governo de centro direita, que posteriormente se transformou numa coligação de direita com a entrada de Paulo Portas e Bagão Félix, o défice só foi controlado com medidas extraordinárias, como a venda de património do estado, ao desbarato…

Sócrates chega ao governo e encontra um défice excessivamente alto. Foi o argumento que Sócrates precisou para reforçar as suas políticas reformistas, sustentadas pela confortável maioria parlamentar.

Com isto o PSD, depois de uma amnésia incompreensível, virou-se para Cavaco Silva, como o salvador das Finanças Públicas, ao ser eleito Presidente da República.

Porém, parece que os responsáveis políticos deste país se foram esquecendo da realidade orçamental dos últimos 15 anos. Com o Tratado de Maastricht, assinado em 1992, foi criada a União Económica e Monetária Europeia e a Moeda Única. A existência da Moeda Única obriga ao cumprimento dos Critérios de Convergência que incluem um Défice Público inferior a 3% do Produto Interno Bruto e uma Dívida Pública abaixo dos 60%.

Nos governos de Guterres foi necessário cumprir estas percentagens, apesar dos resultados herdados dos governos de Cavaco Silva, serem de défices superiores e elevados, em anos eleitorais…

As pessoas decerto recordam-se da tese do “monstro”, em que o Estado gastador tinha à proa, como timoneiro, Cavaco Silva. O mesmo Estado que recebia milhões da Europa e que foram investidos em betão, em subsídios agrícolas e formações profissionais pouco consistentes…

Aliás, Miguel Cadilhe, antigo Ministro das Finanças de um governo de Cavaco Silva, há cerca de um ano atrás, atribuía a este a paternidade do “monstro” do défice… Efectivamente, foi durante os anos de governo de Cavaco Silva que se descontrolaram as finanças públicas, através da despesa corrente que cresceu mais de 10 pontos. Efectivamente, isto parece-nos ser factor indiscutível para tal “nomeação” cinematográfica…

Talvez por tudo isto, não nos seja totalmente estranho o facto do actual Presidente da República, Cavaco Silva, ter defendido publicamente as reformas de Sócrates.

Aliás, Sócrates não podia desejar outro Presidente da República, senão Cavaco Silva… Soares seria sempre uma barreira, condicionando as profundas reformas que penalizam a classe média. Alegre, desconhecendo a realidade económica, como o próprio afirmou durante a campanha eleitoral, colocaria demasiadas questões, com que Sócrates se irritaria!

Assim, Cavaco Silva, mesmo sendo o pai do défice das Finanças Públicas, é o par ideal, com que Sócrates conta na gestão da República Portuguesa.

Facilmente, com politiquices, argumenta-se que Sócrates não está a cumprir o programa eleitoral por introduzir portagens em algumas SCUTS… Serão sempre fracos argumentos, enquanto continuarmos a pagar portagens na A1, que há muitos anos foi paga… Mas, aí, caímos nos contratos de concessão, tal como nas Pontes 25 de Abril, Vasco da Gama e isso levava-nos a outras análises.

Talvez até exista quem recorra a teorias de concertações e jogos de bastidores para desacreditar as políticas do governo…

Presentemente, até ignoramos tais questões, quanto recordamos a verba atribuída neste último PIDDAC para o Concelho de Ourém, por ter sido a maior de sempre.

Todavia, o que contraria o descontentamento de algumas classes sociais, face às reformas de Sócrates, são as sondagens que continuam a dar a vitória ao Partido Socialista, caso existissem agora eleições legislativas. Estranho? Talvez…

Porém, no meio de tanta argumentação, afirmamos que não é sustentável impor soluções que, à custa dos sacrificados de sempre, afectam o crescimento, o emprego e condicionam a competitividade. Não haverá sustentabilidade orçamental sem crescimento económico e sem coesão social. Os sacrifícios que tantos reclamam são necessários. Mas, têm de ser criteriosos e socialmente justos.

E alguns carecem dessa justiça e equilíbrio…

segunda-feira, 18 de dezembro de 2006

Classe e Carros

Por falar em crise…

Ontem estive cerca de meia hora junto a uma estrada à espera de uns amigos e só Mercedes contei 42. Fora os BMW’s e os Audi…

domingo, 17 de dezembro de 2006

Lado a lado

Este sol tem dado para a roupa enxugar.

Este sol tem dado para compras ir efectuar. Na medição medida, ou desmedida do consumo.

E se nos lembrarmos que quem tem mais de 1.000 euros na sua conta bancária, pertence aos 20% de seres humanos mais ricos do planeta, dá que pensar…

Isto já não falando da habitação, de carro…

E vivemos nós em crise… dizem as pessoas…

O que seria viver sem crise?!?

quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

Filmes de Natal

Preparem-se para a “nova” rodada de filmes típicos na época natalícia…

Sobremesa do dia...

Ah e tal tens um blog, mas não tens ccomentários.

Dizia-me uma pessoa amiga.

Será mesmo preciso comentar o Herman deitado no chão, o Emplastro a abrir a boca ou um camião desfeito porque o motorista olhou para a sogra que ia ao lado?

Claro que não!

Comentadores e comentadores já Portugal está cheio…

E o Sócrates que o diga!

Isto no tempo do Salazar, nem espaço para blogs havia, quanto mais comentários…


quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

Campanha da DGV

“Saí do estacionamento, olhei para a cara da minha sogra e caí pela ribanceira abaixo.”

Moral: “Se conduzir, não leve a sogra"!!!


terça-feira, 12 de dezembro de 2006

Eu, a ex...

O livro da ex de Pinto da Costa está a dar que falar…

Será que a placa postiça do emplastro também foi negociada em “off…”?

Será que o livro também aborda esse assunto?

Terá o emplastro de voltar a ficar sem dentes?

Isto não pode ser...

segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

Só despidas...

Longe vão os tempos em que Herman José prendia os telespectadores à televisão.

Hoje, a comédia e o humor estão nas mãos de outras personagens.

Já nem se deitar muitas mulheres ao chão, com as cuecas à mostra, Herman recuperará…

Sócrates irrita mesmo muita gente...

Alberto João Jardim continua igual a si mesmo.

Apelou à revolução contra Sócrates.

Esqueceu-se de referir quais deverão ser as flores usadas, após os cravos em Abril de 74…

Talvez, as estrelícias que há lá pela Madeira…

Assim, sempre rendiam uns euros para mais uns electrodomésticos e cabazes de Natal entregues pelo PPD/PSD às famílias menos laranja…

sábado, 9 de dezembro de 2006

sexta-feira, 8 de dezembro de 2006

Ah e tal...

Ah e tal foram todas compradas por mim…

Com esta crise?

Duvido!

Porquê? Falaste com o meu banco?

Não! Perguntei às Finanças…

terça-feira, 5 de dezembro de 2006

Um café, por favor...

Qualquer semelhança com uma marca de café e esta imagem é pura coincidência…

Pensamento do dia...

"As crianças ficam em calçadas tão geladas, quanto o coração daqueles
que prometem ajudar, mas que nunca estendem as mãos".

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

Marilú...

Está um homem descansadinho da vida sentado no seu sofá, a ver o futebol, quando de repente vinda não se sabe muito bem de onde, leva com uma frigideira na cabeça.
O desgraçado, de joelhos no chão, vendo estrelas por todo o lado, volta-se para a mulher:
-"Atão!?!?!? Tás parva ou quê??!? O que é que se passou???"
- "Isto é pelo bilhete que acabei de encontrar no bolso das tuas calças, e que tem o nome Marilu e o número 7500589", respondeu ela.
-"És estúpida! Isso foi da última vez que fui às corridas de cavalos. Marilu era o nome do cavalo, 7500 foi o valor que eu apostei, 58 era o nº do cavalo e 9 a corrida em que o cavalo entrou... Não me chateies mais!
E ela:
-"Errei... Mas....Bom...Quer dizer.... Ò meu amor desculpa, desculpa, não volta a acontecer..."
Passados 2 dias está o homem outra vez descansadinho da vida, a ver os resumos da bola, quando...
PUUUMMMMMMMM, leva com a panela de pressão na cabeça! Completamente tonto, deitado no chão e ainda não refeito da pancada, grita:
-Então?!?! Outra vez! O que é que foi agora?"
A mulher responde:
- "O teu cavalo está ao telefone..."

Mesmo, no Centro de França!

Depois de determinadas localidades portuguesas com nomes caricatos, uma localidade no centro de França…

Melhor Escola do Mundo = Portugal!!!

Vejamos o exemplo de uma turma do 7º ano de escolaridade.
Entre Disciplinas/Áreas Curriculares e Não Curriculares, temos:
1 - Língua Portuguesa
2 - História
3 - Língua Estrangeira I — Inglês
4 - Língua Estrangeira II — Francês
5 - Matemática
6 - Ciências Naturais
7 - Físico-Químicas
8 - Geografia
9 - Educação Física
10 - Educação Visual
11 - Oferta da escola 1 entre (Tapeçaria, Música, Dança, Fotografia,
Cerâmica, Expressão plástica, Teatro).
12 - Educação Visual e Tecnológica
13 - Educação Moral R.C.
14 - Estudo Acompanhado
15 - Área Projecto
16 - Formação Cívica.
São 16 (dezasseis)
Carga horária = 36 tempos lectivos
Não é o máximo ensinar isto tudo aos filhos de todo o país?
E a Escola ainda:
Integra alunos com diferentes tipologias e graus de deficiência, apesar de
os professores não terem formação para isso;
Integra alunos com Necessidades Educativas de Carácter Prolongado, apesar de os professores não terem formação para isso;
Não esquecendo os outros alunos, "atestado-médico-excluídos" que também têm dificuldades de aprendizagem;
Integra alunos oriundos de outros países que, por vezes, não falam uma única
palavra de Português;
Tem o dever de criar outras opções para superar dificuldades dos alunos como:
Currículos Alternativos;
Percursos Escolares Próprios;
Percursos Curriculares Alternativos;
Cursos de Educação e Formação.
A escola ainda tem o dever de sensibilizar ou formar os alunos nos mais variados domínios:
Educação sexual;
Prevenção rodoviária;
Promoção da saúde, higiene, boas práticas alimentares, etc;
Preservação do meio ambiente;
Prevenção da toxicodependência, etc, etc…
Mas então, pergunta-se: em Portugal as crianças são todas órfãs?
A Escola Secundária de Seia tem 600 alunos e no último plenário da Assembleia de Pais apareceram menos de 20! Como é isto possível?
E depois são estes pais ausentes e desinteressados do percurso escolar dos seus filhos, aqueles que vão avaliar a competência dos professores?
Assim, faz-se dos professores uma cambada de selvagens e incompetentes que não merecem o que ganham e "trabalham" poucas horas. Apenas 35 por semana…
Vejam bem que os professores chegam ao cúmulo de exigir aos alunos que
tragam o material para as aulas, que façam os trabalhos de casa, que estejam atentos e não gritem na sala de aula…

domingo, 3 de dezembro de 2006

Obrigado a todos aqueles que nos últimos tempos, e das várias formas se têm preocupado com a saúde da minha mãe.

Está melhor.

Regressou a casa, neste meu aniversário.

Foi, sem dúvida, a melhor prenda que podia receber.

O regresso daquela que há 31 anos me fez ver a luz do mundo e a chama da vida.

A todos os meus amigos que me desejaram os parabéns, agradeço a amizade, sob a qual jamais conseguirei retribuir.

A amizade, verdadeira, não tem preço ou peso que se possa medir, nos dias de hoje.

Sendo por isso incomportável a retribuição na medida justa...