quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Para 2009 - imagem "Triunfo dos Inocentes"

"Ninguém pode conviver sozinho com a beleza que é capaz de perceber.
E quanto a nós, que buscamos o Absoluto, e que construímos um jardim
usando a nossa própria solidão, a Vida deixou-nos a imensa paixão para
aproveitar cada instante, com toda a intensidade."

sábado, 27 de dezembro de 2008

Direito a pensar

Em todas as épocas festivas e de reflexão, redijo, para os amigos e familiares uma mensagem que envio, via telemóvel.

Há 2 anos atrás, recebi, de uma pessoa conhecida, a mensagem que, no mesmo dia, havia enviado para os meus amigos.

O ano passado, já depois do Natal, numa conversa de café uma pessoa disse-me ter recebido uma mensagem muito engraçada de Boas Festas, que depois de lida, constatei ser a minha.

Este ano voltei a enviar uma mensagem pessoal e, um familiar meu recebeu-a de uma outra pessoa passado um dia.

Não sou escritor, pensador ou poeta, até porque como diz o provérbio Chinês “o novo não é nada mais, do que o velho que caiu no esquecimento”. Todavia, julgo que mais do que copiar as mensagens que recebemos, devemos, efectivamente, escrever o que pensamos.

Se por um lado fico satisfeito, por outro entristece-me a preguiça daqueles que sob os adjectivos do tempo, da falta dele ou de qualquer outra razão, não dão mais de si e não se esforçam…

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Para relaxar... ou não...

Após a sanção decretada pela Liga de Clubes, Pinto da Costa resolveu ir a Fátima a pé. Quando lá chegou, ajoelhou-se e perguntou ao Senhor:
-Senhor, será que alguma vez mais o FCP será campeão?
O Senhor esfolhou os arquivos celestiais...
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap... e disse:
-Podes ir em paz. O FCP ainda será campeão por várias vezes durante o teu mandato.
Mal esta notícia chegou ao conhecimento de Filipe Soares Franco, de imediato ele meteu os pés a caminho de Fátima.

Quando lá chegou, ajoelhou-se e perguntou:
-E o Sporting, Senhor?
O Senhor esfolhou os arquivos celestiais...
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap... e disse:
-Podes ir em paz. O Sporting ainda será campeão, mas não no teu mandato.
Mal esta notícia chegou ao conhecimento de Luis Filipe Vieira, de imediato ele meteu os pés a caminho de Fátima.

Quando lá chegou, ajoelhou-se e perguntou:
-E o Benfica, Senhor?
O Senhor esfolhou os arquivos celestiais....
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap... e ao fim de meia hora, disse:
-Sim, sim, sim...
O Benfica ainda há-de ser campeão...
Mas não no Meu mandato!

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Tenho aprendido... versão pessoal...

Aprendi que ninguém é perfeito.
Aprendi que a vida é dura, mas que temos de ser mais que ela.
Aprendi que as oportunidades nunca se perdem, visto que, aquelas que desperdiçamos alguém as aproveita.
Aprendi que quando nos importamos com rancores e amarguras a felicidade perde-se por outros caminhos.
Aprendi que devemos procurar usar as boas palavras, também e porque, amanhã nunca se sabe as que temos de ouvir.
Aprendi que um sorriso é uma maneira económica de melhorar o nosso aspecto externo e de melhorar as relações humanas.

Aprendi que não posso escolher como me sinto, mas posso sempre procurar fazer alguma coisa para melhorar.
Aprendi que quando a minha filha recém-nascida me segurou no dedo da minha mão, me cativou para todo o sempre, pelo amor de pai.
Aprendi que a maioria das pessoas quer viver no cimo da montanha, mas que a felicidade se encontra e se vive durante a subida.
Aprendi que temos de saborear as viagens da vida, com todos os seus percalços e aventuras, e não pensar somente nas chegadas.
Aprendi que o melhor é dar conselhos só em duas circunstancias: quando são pedidos e quando deles depende a vida e a felicidade.
Aprendi que quanto menos tempo se desperdiça mais coisas posso fazer por mim, pelos meus e pelos outros.

Tudo, porque vivo em sociedade e em sociedade sou feliz.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Avaliação de desempenho

O dono de um talho foi surpreendido pela entrada de um cão dentro da loja. Enxota-o mas o cão volta a entrar. Volta a enxotá-lo e repara que o cão traz um bilhete na boca. Apanha o bilhete e lê:

'Manda-me 12 salsichas e uma perna de carneiro, por favor?'

Também repara que o cão tem na boca uma nota de 50 euros. Avia o cão e põe-lhe o saco de compras na boca. Impressionado e, como estava para fechar, resolve seguir o cão. O cão desce a rua, chega aos semáforos e, com um salto, carrega no botão para ligar o sinal verde. Aguarda a mudança de cor do sinal, atravessa a rua e dirige-se à paragem dos autocarros. O talhante estava perplexo! Na paragem, o cão observa o painel dos horários e senta-se no banco, aguardando o autocarro. Chega um autocarro, o cão vai à sua frente verificar o número e volta a sentar-se no banco. Chega outro autocarro e, verificando que era aquele o número certo, entra. E o talhante, de boca aberta, também entra para seguir o cão. Algumas paragens depois, o cão fica em pé nas patas traseiras e carrega no botão de stop, para mandar parar o autocarro e sempre com as compras na boca. O talhante e o cão caminham pela rua, quando o cão parou à porta de uma casa e pôs as compras no passeio. Vira-se um pouco, correu e atirou-se contra a porta. Repetiu o acto mas ninguém lhe abre a porta. Contorna a casa, salta um muro e, numa janela, começa a bater com a cabeça no vidro várias vezes, retornando para a porta. De repente, aparece um tipo enorme a abrir a porta e bate no cão. O talhante corre até ao homem, tenta-o impedir de bater mais no cão e diz-lhe bastante indignado:

'Óh homem, o que é que está a fazer? O seu cão é um génio!'
O homem responde:

'Um génio? Já é a segunda vez esta semana que este estúpido cão, se esquece da chave!'
Moral da história:
Podes continuar a exceder as expectativas, mas a tua avaliação
depende sempre da competência de quem avalia…

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

No reflexo dos meses e dos anos de vida...

Ontem foi dia de 33 anos completar.

Com a amizade dos amigos e daqueles que olham o céu com o mesmo sentido, no horizonte do viver...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

1 de Dezembro

A Restauração da Independência é a designação dada à revolta iniciada em 1 de Dezembro de 1640 contra a tentativa de anulação da independência do Reino de Portugal por parte da Dinastia Filipina, e que vem a culminar com a instauração da Dinastia Portuguesa da Casa de Bragança.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Redaxão - 'O Pipol e a Escola'

Eu axo q os alunos n devem d xumbar qd n vam á escola. Pq o aluno tb
tem Direitos e se n vai á escola latrá os seus motivos pq isto tb é
perciso ver q á razões qd um aluno não vai á escola. Primeiros a peçoa
n se sente motivada Pq axa q a escola e a iducação estam uma beca
sobre alurizadas.
Valáver, o q é q intereça a um bacano se o quelima de trásosmontes é
munto Montanhoso? Ou se a ecuação é exdruxula ou alcalina? Ou cuantas
estrofes tem Um cuadrado? Ou se um angulo é paleolitico ou
espongiforme? Hã?
E ópois os setores ainda xutam preguntas parvas tipo cuantos cantos
tem 'os Lesiades''s, q é um livro xato e q n foi escrevido c/ palavras
normais mas q no Aspequeto é como outro qq e só pode ter 4 cantos
comós outros, daaaah.
Ás veses o pipol ainda tenta tar cos abanos em on, mas os bitaites dos
profes até dam gomitos e a Malta re-sentesse, outro dia um arrotou q
os jovens n tem Abitos de leitura e q a Malta n sabemos ler nem
escrever e a sorte do gimbras Foi q ele h-xoce bué da rapido e só o
'garra de lin-chao' é q conceguiu Assertar lhe com um sapato. Atão
agora aviamos de ler tudo qt é livro desde o Camóes até á idade média
e por aí fora, qués ver???
O pipol tem é q aprender cenas q intressam como na minha escola q á um
curço De otelaria e a Malta aprendemos a faser lã pereias e ovos mois
e piças de Xicolate q são assim tipo as pecialidades da rejião e ópois
pudemos ganhar um Gravetame do camandro. Ah poizé. Tarei a inzajerar?
Serão estes os Homens do futuro e do amanhã?

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Em cada dia a dia...

Árduos trabalhos diários, de grandes ou pequenos afazeres numa diversificada e incomparável sociedade de homens e mulheres.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Quando a teimosia não permite observar a realidade...

"Espelho meu, espelho meu estarão cerca de 120 mil enganados ou será só o Zé e eu?"
Assinado: Manuela Ferreira Leite - versão independente socialista...

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Yes, we can!

Se até nos EUA a Mudança foi a realidade, que outrora jamais seria possível de alcançar, porque é que no concelho de Ourém também não se há-de processar a Mudança?

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Mudar de perguntas e respostas...

"Comecei a compreender que pensar não é nada mais do que o processo de fazer e responder a perguntas...

Portanto, se queremos mudar a qualidade das nossas vidas, devemos começar por mudar as nossas perguntas e respostas habituais".

Anthony Robbins

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Ser Professor - versão objectiva!

Faço projectos, planos, planificações;
Sou membro de assembleias, conselhos, reuniões;
Escrevo actas, relatórios e relações;
Faço inventários, requerimentos e requisições;
Escrevo actas, faço contactos e comunicações;
Consulto ordens de serviço, circulares, normativos e legislações;
Preencho impressos, grelhas, fichas e observações;
Faço regimentos, regulamentos, projectos, planos, planificações;
Faço cópias de tudo, dossiers, arquivos e encadernações;
Participo em actividades, eventos, festividades e acções;
Faço balanços, balancetes e tiro conclusões;
Apresento, relato, critico e envolvo-me em auto-avaliações;
Defino estratégias, critérios, objectivos e consecuções;
Leio, corrijo, aprovo, releio múltiplas redacções;
Informo-me, investigo, estudo, frequento formações;
Redijo ordens, participações e autorizações;
Lavro actas, escrevo, participo em reuniões;
E mais actas, planos, projectos e avaliações;
E reuniões e reuniões e mais reuniões!...
E depois ouço,
alunos, pais, coordenadores, directores, inspectores,
observadores, secretários de estado, a ministra
e, como se não bastasse, outros professores...
Elaboro, verifico, analiso, avalio, aprovo;
Assino, rubrico, sumario, sintetizo, informo;
Averiguo, estudo, consulto, concluo,
Coisas curriculares, disciplinares, departamentais,
Educativas, pedagógicas, comportamentais,
De comunidade, de grupo, de turma, individuais,
Particulares, sigilosas, públicas, gerais,
Internas, externas, locais, nacionais,
Anuais, mensais, semanais, diárias e ainda querem mais?
O quê? Que eu dê aulas?!?

domingo, 26 de outubro de 2008

Num destes dias, aconteceu...

A espera foi longa…

Mais de um ano.

Mas, quem espera sempre alcança.

E, a esperança é a última coisa a perder.

Assim, imperaram as palavras sustentadas nas mais elementares justiças…

domingo, 19 de outubro de 2008

Para conseguir...

Em tudo, como na vida, por mais que as qualidades individuais sobressaiam e se destaquem, não há nada melhor do que o trabalho em equipa…

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Na altura do ano...

Numa altura em que as gripes e os vírus surgem com o cair das folhas e a chegada do Outono, há que saber manter a boca fechada nas alturas certas, e abrir pelas boas causas comuns.

Tudo, pelo bem estar individual e geral dos meios que frequentamos.


quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Sachs, Zundapp ou Famel...

Sobem e baixam os combustíveis.

Falam, argumentam e contra-argumentam, nas rádios e tv’s, os presidentes das Altas Autoridades, das Associações de Revendedores, das empresas...

Seja com talões de desconto dos supermercados, dos descontos de ser sócio disto ou daquilo, nunca, em tempo algum, para encher o depósito se pagou tanto.

Mudam-se os tempos, dirão alguns...

E eu, acrescento, que também se mudam as vontades, completando o pensamento de Luís Vaz de Camões.

A vontade de contrariar, passa, somente, pela força de acreditar, com a razão à frente, para a batalha vencer...

Nos gasóleos e gasolinas, no trabalho, nas relações sociais, desta sociedade que é de todos nós...

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

O desespero - episódio 1

A imagem é, efectivamente, relativa a outros tempos.

Ao tempo dos heróis de referência.

Há quem diga que, outrora, também em Ourém o PSD teve tempos de glória.

Agora, agoniado, emite os comunicados mais circenses e lamentáveis que se conhecem.

Mistura política nacional, com uma saudação aos emigrantes que já cá não estão, com segurança e dando a entender que a falta desta levou a um acontecimento trágico com um cidadão que habitava em Ourém.

Lamenta-se que o PSD tenha de recorrer a estes temas para justificar, o que quer que seja.

Aliás, desculparem-se dos seus erros, com a política nacional é o cúmulo da incapacidade política. O governo de José Sócrates, que a Câmara critica atribuiu 10 milhões de euros (2 milhões de contos) para a requalificação da Av D. José Correia Alves da Silva, na Cova de Iria. A Câmara arrisca-se a perder essa verba porque o tempo que demorou a elaborar um plano e a aprová-lo, foi excessivo... E ainda se queixam do governo???

O mesmo governo que está a fazer chegar o IC9 ao concelho, que requalificou a Estrada Nacional 349, que já garantiu 2 novos médicos de clínica geral para o concelho de Ourém... entre outras...

Mas, esta política do PSD em Ourém, em desespero, é mesmo assim. Já é hábito.

Não dos heróis, que esses nunca se esconderam atrás de quem quer que fosse para fazer a justiça.

E por falar em justiça, é uma injustiça fazerem crer que 1 milhão e 400 mil contos por uma nova Câmara Municipal é obra de orgulho, quando na cidade de Ourém (só para dar este exemplo) alguma da rede de conduta de água ainda deve ser do tempo em que as mesmas eram fabricadas com amianto… Isto sem tratarmos ou referirmos a questão do contrato que a Câmara assinou com a Companhia das Águas e que não está a ser cumprido.

A seu tempo lá iremos.

Com 1 milhão e 400 mil contos, como o PSD de Mafra tem feito naquele concelho, em Ourém podíamos construir complexos escolares em todas as sedes de freguesias, mas, com piscinas…

Parece que nos querem mandar areia para os olhos.

Ai que saudades dos super heróis, dirão alguns...

sábado, 20 de setembro de 2008

Ring the bells...

Numa altura em que dizem que a criminalidade violenta aumentou, os juros das taxas de referência é que não param de aumentar. Isto, numa sociedade mundial de constantes aumentos em vários sectores.

E se para um lado cresce, para outros diminui.

Até diminuem os valores, em detrimento dos cifrões e dos objectivos que temos de alcançar…

E hoje que até já choveu e o ar está abafado. Nem as notícias fazem esquecer a realidade que os outros nos impõem...

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Por mais confuso que pareça...

Todos os animais merecem respeito.

Os irracionais e os racionais.

Se bem que possam existir alguns animais racionais, insensíveis às necessidades do próximo, quietos no conforto das suas cadeiras e na rubrica ou assinatura do seu nome.

Estes animais, racionais, nem mesmo com a teoria do Pavlov, em que as respostas comportamentais são reflexos incondicionados, inatos, em vez de aprendidas, lhes permitem contrariar os seus actos para reflexos condicionados aprendidos por situações agradáveis…

Resumindo e baralhando, a espuma dos dias nada mais reflecte senão a agitação do mar.

Ou, regressando ao mundo animal, nem mesmo quando levam os animais a passear eles adquirem outros conhecimentos ou atitudes. Estão, definitivamente, limitados…

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Que tenham emenda...

Hoje, à hora de almoço fui levantar dinheiro a um Multibanco que se encontrava junto a uma esplanada.

Na mesa mais próxima, um grupo de jovens adolescentes (na sua maioria raparigas entre os 13 e os 16 anos), falavam de uma nova novela.

Em 10 palavras que diziam, mais de metade eram asneiras.

Daquelas, que nem nas tabernas onde o vinho é mais forte que o bagaço, podem ser ouvidas.

São alunas num dos colégios privados de referência da cidade de Lisboa.

Bem vestidas e calçadas.

Levadas, pelos seus pais, todas as manhãs, em automóveis topo de gama.

E para quê…?

Assim, não há educação que valha… Nem a pais, nem a professores…


sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Se fosse com a ASAE....

A recente notícia de mais uma derrapagem nas obras da construção do novo edifício da Câmara Municipal de Ourém, podia ser caracterizada, metaforicamente claro está, como:

“É muita areia para a minha camioneta”.

Esta expressão popular ilustra a incapacidade de suportar alguns "pesos", "responsabilidades" ou "projectos".

Decididamente, o rigor orçamental daqueles que detêm a responsabilidade pelas contas da Câmara tem condicionado, drasticamente o equilíbrio das contas públicas do município.

Cada vez mais se percebe porque é que o candidato Vítor Frazão ainda não tem um projecto para o concelho e, somente, linhas mestras...

Deve andar à procura da ponta... de uma linha...

domingo, 31 de agosto de 2008

Holy

O meu amigo Luís Cordeiro lançou um projecto, em parceria com outro jovem criador, que dá pelo nome de Holy Fabrics.

Criação e venda de roupa. Destaco as t-shirts muito originais.

Um espaço para visitar!!!

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

4 anos...

No dia 22 de Agosto de 2008 passaram 4 anos sobre a criação deste blog.

Com a disponibilidade e a indisponibilidade do seu autor, tem sido local de encontros e desencontros, de pensares e imagens, de comentários e silêncios, de passagens, visitas, reflexões de dias e noites.

Mais do que agradecer aos que visitam este espaço, temos, por obrigação moral, de lembrar a força que nos move e nos faz acreditar, mesmo que recorrendo ao nosso Suplemento de Alma. E à minha amiga Gotinha que me ajudou nos "primeiros passos".

Hoje, fui encontrá-lo referenciado no Aniversário de Blogues.

Por aí anda referenciado em outros blogues de amigos, conhecidos, desconhecidos, mas ciberneticamente ligados ao mundo virtual em que o mundo gira.

terça-feira, 29 de julho de 2008

Leonardo Da Vinci

«O pouco conhecimento faz com que as criaturas se sintam orgulhosas.

Já o muito conhecimento estimula-lhes a humildade.

É por isso que as espigas sem grãos erguem desdenhosamente a cabeça para o céu, enquanto que as cheias as baixam para a terra, sua mãe».

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Férias

Por onde quer que viajemos, importará sempre, mesmo não sabendo o destino, conhecer o caminho do descanso e do retemperar de energias.

As minhas, ainda esperam pelo fim do calendário do mês...

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Parabéns!!!

Leonor, filha.

Hoje, nasceu o sol, sobre a data do teu primeiro ano de idade que completas.

1 ano de alegria, ternura, carinho, crescimento, beijos e choros, risos e cumplicidades partilhadas entre os que te rodeiam, e que com amor eterno te tratam, te ensinam, te amam...

Mais do que sermos a tua ajuda, somos e seremos a tua companhia na descoberta do mundo em que vives, e que nos rodeia.

Hoje e amanhã, pelo caminho que traçares em cada passo de mulher, que no dia a dia ganha traços no teu rosto de criança, conta com os laços inquebráveis das relações de sangue, dos genes que possuímos, iguais e misturados, à luz do sol e do luar, dos dias e das noites de estrelas.

Dos avós, dos tios, das primas, da mana, e dos teus pais, um FELIZ ANIVERSÁRIO.

sábado, 28 de junho de 2008

Ou a prisão...

"A bondade é silenciosa como a semente, mas contém a força da
transformação.”

Sónia Rinaldi

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Prioridades

Cada vez mais as prioridades dos portugueses se dividem entre um bom carro, uma boa casa. E o resto…? O resto logo se vê!

Entre um crédito à habitação por pagar e um bom carro, porque não um bom carro?

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Olé!

A Associação ANIMAL avançou hoje com uma acção judicial contra Durão Barroso e Jorge Sampaio, por estes, aquando das suas funções como 1º Ministro e Presidente da república, respectivamente, terem autorizado os “touros de morte” em Barrancos.

Qualquer dia, nas praças de touros em Portugal podemos ter a “Corrida a Galinhas” por exemplo...

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Leonor

Fazes hoje 11 meses.

Tão crescida que tu estás!

Já dizes tantas palavras.

Já mandas e dás beijinhos.

Já dizes adeus.

Já bates palminhas.

Brincas.

Ris.

Saltas.

Apontas.

Danças quando dá música na televisão.

Mexes nos telemóveis todos, nos comandos.

...

É bom ver-te crescer filha!

domingo, 1 de junho de 2008

Dia da Criança. Leonor, este é para ti!

No meio de tanto barulho, que as nuvens nem o sol deixam espreitar, passam os dias.

No meio dos dias que passam, sobre as horas de distâncias e saudades, agarramo-nos nos reencontros dos dias e dos fins de semana, com um sorriso rasgado sobre o peso do amor.

Hoje, foi o teu primeiro dia da criança, em que “a bebé” encantou a natureza, com a sua essência, por nós olhada, sentida e vivida intensamente…

Numa estação, perto de si!

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Horizonte???

“Na corrida à liderança do PSD, e nas auscultações que fez às bases do partido, Santana Lopes diz que tem ouvido apelos «no sentido de impor a ordem, a autoridade e fazer uma limpeza na bagunça que é este partido». A sua resposta tem sido clara: «Pois digo, vou ser intransigente nesse caminho».”

A questão mais importante passa pela necessidade de ter um partido da oposição credível, activo, interventivo e participativo na política nacional.

Se em Ourém o PSD está igual ou pior do que a nível nacional, a vantagem da direcção nacional passará pelas eleições internas que estão a decorrer escolhendo o líder. A nível local, parece-nos não haver solução…

Assim, nas próximas eleições autárquicas funcionará, decerto, a alternância democrática, a bem do concelho de Ourém…

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Quinze dias depois da passagem do ciclone Nargis, as autoridades militares de Myanmar continuam a recusar a ajuda internacional de socorro aos milhares de habitantes que sobreviveram, mas que estão famintos, doentes e feridos.

Porque é que os generais birmaneses não distribuem alimentos para todos, não aceitam a ajuda externa em nome do valor da vida humana?

Que homens são estes que desprezam os seus concidadãos?

domingo, 11 de maio de 2008

Imitar ou piorar...

"Não podemos entrar na modernidade com a vergonha de se ser pobre e o
culto das aparências; com a passividade perante a injustiça e a
ideia de que, para sermos modernos, temos de imitar os outros".

Mia Couto

segunda-feira, 28 de abril de 2008

A foto é para aliviar o stress...

Falam, falam, falam, mas o Benfica continua em três frentes…

Frente ao Colombo…

Frente à Repsol…

Frente ao Media Market…

sexta-feira, 25 de abril de 2008

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Eleições no PSD

«Estou aqui, mais uma vez, disponível para o combate». A frase é de Santana Lopes, no final do seu discurso ao Conselho Nacional. À saída, garantiu que a candidatura «tem de valer a pena; para que tudo não fique na mesma».

E assim, o derrotado político das últimas legislativas, como que se “alevanta” e salta para a corrida. 6 candidatos é obra!

Como diria o outro: “À meia dúzia é mais barato!”

sábado, 19 de abril de 2008

Próximo candidato ao PSD!

Se este homem apanhar uma câmara à frente, já sabemos que teremos mais um candidato a candidato, para a liderança do PSD.

E aí, os já candidatos, pseudo-candidatos e desejáveis candidatos: Patinha Antão, Pedro Passos Coelho, Aguiar Branco, Marcelo Rebelo de Sousa, Rui Rio, Manuela Ferreira Leite… tenham cuidado!

Caso Luís Filipe Menezes não se recandidate, não nos esqueçamos do sempre surpreendente Santana Lopes.

O “emplastro” deve ser mais conhecido do que a maioria destes candidatos.

Em termos de audiência televisiva ,e para provocar sorrisos e gargalhadas, só mesmo Santana Lopes poderá concorrer com ele (o “emplastro”).

Manuela Ferreira Leite afrontou os estudantes e vendeu património do estado ao desbarato… Má memória…

Patinha Antão… quem é?

Pedro Passos Coelho é mais um, dos muitos ex-líderes das juventudes partidárias, que na sua juventude lhe projectaram uma carreira política brilhante, mas que depois de “perder o peso” dos votos, foi “abafado” pelas cúpulas de poder partidária.

Aguiar Branco… quem é?

Rui Rio terá algum crédito, não pela sua teimosia mesmo quando sabe que não tem razão, mas porque provou que o Porto não é o Futebol Clube do Porto…

Menezes, depois desta tentativa de vitimização, arriscou demais, e à presente data, as “tropas” que ele tem e que Jardim gostava de ter, estão a desmobilizar… Arriscou demais…

Santana Lopes colar-se-á à candidatura mais promissora, mais astrológica, mais mediática, mesmo nem sendo, a candidatura vencedora. Todavia, será uma com estas características...

Resta, ao PSD, e ao país (porque qualquer estado democrático precisa de bons governos e fortes oposições) Marcelo Rebelo de Sousa. Respeitado. Douto. Astuto. Tem a tempo de antena semanal a seu gosto, e foi aquele que infligiu as derrotas de Guterres, enquanto Presidente do PSD.

Com Cavaco a sorrir e sem saber o que dizer ao ver o PSD a despedaçar-se em candidatos, e com Sócrates a credibilizar o PS face à instabilidade dos Social Democratas, o “emplastro”, se é para continuar a rir em cada noticiário da rádio e da televisão, é, sem dúvida, uma boa hipótese…

Entre os dias e as horas...

As semanas vão passando, pelas horas e pelos dias, que de manhã ou de noite, sobre forma de máquinas e gestos mecânicos repetimos práticas, sobre o instinto de sobrevivência, a par das práticas sociais impostas.

Chegamos ao fim de semana cansados e de agenda cheia de tarefas domésticas. Ouvimos a chuva que bate forte, empurrada pelo vento que agita as árvores da rua.

Entre tudo isto há um outro mundo lá fora, onde, decerto, alguém, em comum, tem estas e outras rotinas.

Ainda que cada pessoa seja uma só, que cada família seja uma só, que ligações se estabelecem entre o viver, o sobreviver, o fazer e o querer?


segunda-feira, 14 de abril de 2008

Se "Céu", ou um outro mundo existir...

Pai. Se fosses vivo, hoje fazias 65 anos.

Onde quer que estejas (porque a existência e o pensamento humano se refugiam na crença de que há "um outro lugar"), relembro-te com saudade, carinho e amor.

domingo, 13 de abril de 2008

Definição da "Avó", por uma criança.

«Uma Avó é uma mulher que não tem filhos, por isso gosta dos filhos dos outros.
As Avós não têm nada para fazer, é só estarem ali.
Quando nos levam a passear, andam devagar e não pisam as flores bonitas nem as lagartas.
Nunca dizem "Despacha-te!"
Normalmente são gordas, mas mesmo assim conseguem apertar-nos os sapatos.
Sabem sempre que a gente quer mais uma fatia de bolo ou uma fatia maior.
As Avós usam óculos e às vezes até conseguem tirar os dentes.
Quando nos contam histórias, nunca saltam bocados e nunca se importam de contar a mesma história várias vezes.
As Avós são as únicas pessoas grandes que têm sempre tempo.
Não são tão fracas como dizem, apesar de morreram mais vezes do que nós.
Toda a gente deve fazer o possível por ter uma Avó, principalmente se não tiver televisão.»

sábado, 12 de abril de 2008

...

"A bondade é silenciosa como a semente, mas contém a força da transformação."

Sonia Rinaldi

domingo, 30 de março de 2008

Teoria explicativa sobre o "Mercado de Acções"

Um dia, numa aldeia apareceu um homem anunciando aos aldeões que compraria macacos por 10€ cada. Os aldeões sabendo que haviam muitos macacos na região, foram à floresta e iniciaram a caça. O homem comprou centenas de macacos a 10€ e então os aldeões diminuíram o seu esforço na caça. De seguida o homem anunciou que pagaria 20€ por cada macaco. Logo os aldeões renovaram os seus esforços e foram novamente à caça. Assim, os macacos foram escasseando cada vez mais e os aldeões foram desistindo da busca. A oferta aumentou para 25€ e a quantidade de macacos foi reduzindo tanto, que a procura diminuiu. Então, o homem anunciou que passaria a pagar 50€ por cada macaco. Entretanto, como ia à cidade grande, deixaria o seu assistente responsável pela compra dos macacos. Na ausência do homem, o seu assistente disse aos aldeões: "Olhem todos estes macacos na jaula que o homem vos comprou. Eu vendo-os por 35€ a vocês e quando o homem retornar da cidade, vocês podem vende-los por 50€ cada." Os aldeões, na ânsia de ganhar, foram buscar todas as suas economias e compraram todos os macacos ao assistente. Depois do negócio, o assistente desapareceu e o homem não regressou da cidade. Passaram a ver-se, somente, macacos por todos os lados.

segunda-feira, 24 de março de 2008

sexta-feira, 21 de março de 2008

Composição da Gramática Portuguesa

"Era a terceira vez que aquele substantivo e aquele artigo se encontravam no elevador. Um substantivo masculino, com aspecto plural e alguns anos bem vividos pelas preposições da vida. O artigo, era bem definido, feminino, singular. Era ainda novinha, mas com um maravilhoso predicado nominal. Era ingénua, ilábica, um pouco átona, um pouco ao contrário dele, que era um sujeito oculto, com todos os vícios de linguagem, fanático por leituras e filmes ortográficos. O substantivo até gostou daquela situação; os dois, sozinhos, naquele lugar sem ninguém a ver nem ouvir. E sem perder a oportunidade, começou a insinuar-se, a perguntar, a conversar. O artigo feminino deixou as reticências de lado e permitiu-lhe esse pequeno índice. De repente, o elevador pára, só com os dois lá dentro. Óptimo, pensou o substantivo; mais um bom motivo para provocar alguns sinónimos. Pouco tempo depois, já estavam bem entre parênteses, quando o elevador recomeçou a movimentar-se. Só que em vez de descer, sobe e pára exactamente no andar do substantivo.
Ele usou de toda a sua flexão verbal, e entrou com ela no seu aposento.
Ligou o fonema e ficaram alguns instantes em silêncio, ouvindo uma fonética clássica, suave e relaxante. Prepararam uma sintaxe dupla para ele e um hiato com gelo para ela. Ficaram a conversar, sentados num vocativo, quando ele recomeçou a insinuar-se. Ela foi deixando, ele foi usando o seu forte adjunto adverbial, e rapidamente chegaram a um imperativo. Todos os vocábulos diziam que iriam terminar num transitivo directo. Começaram a aproximar-se, ela tremendo de vocabulário e ele sentindo o seu ditongo crescente. Abraçaram-se, numa
pontuação tão minúscula, que nem um período simples, passaria entre os dois. Estavam nessa ênclise quando ela confessou que ainda era vírgula. Ele não perdeu o ritmo e sugeriu-lhe que ela lhe soletrasse no seu apóstrofo. É claro que ela se deixou levar por essas palavras, pois estava totalmente oxítona às vontades dele e foram para o comum de dois géneros. Ela, totalmente voz passiva. Ele, completamente voz activa. Entre beijos, carícias, parónimos e substantivos, ele foi avançando cada vez mais. Ficaram uns minutos nessa próclise e ele, com todo o seu predicativo do objecto, tomava a iniciativa. Estavam assim, na posição de primeira e segunda pessoas do singular. Ela era um perfeito agente da passiva, ele todo paroxítono, sentindo o pronome do seu grande travessão forçando aquele hífen ainda singular. Nisto a porta abriu-se repentinamente. Era o verbo auxiliar do edifício. Ele tinha percebido tudo e entrou logo a dar conjunções e adjectivos aos dois, os quais se encolheram gramaticalmente, cheios de preposições, locuções e exclamativas. Mas, ao ver aquele corpo jovem, numa acentuação tónica, ou melhor, subtónica, o verbo auxiliar logo diminuiu os seus advérbios e declarou a sua vontade de se tornar particípio na história. Os dois olharam-se e viram que isso era preferível, a uma metáfora por todo o edifício. Que loucura, meu Deus. Aquilo não era nem comparativo. Era um superlativo absoluto. Foi-se aproximando dos dois, com aquela coisa maiúscula, com aquele predicativo do sujeito apontado aos seus objectos. Foi-se chegando cada vez mais perto, comparando o ditongo do substantivo ao seu tritongo e propondo claramente uma mesóclise-a-trois. Só que, as condições eram estas. Enquanto abusava de um ditongo nasal, penetraria no gerúndio do substantivo e culminaria com um complemento verbal no artigo feminino. O substantivo, vendo que poderia transformar-se num artigo indefinido depois dessa situação e pensando no seu infinitivo, resolveu colocar um ponto final na história. Agarrou o verbo auxiliar pelo seu conectivo, atirou-o pela janela e voltou ao seu trema, cada vez mais fiel à língua portuguesa, com o artigo feminino colocado em conjunção coordenativa conclusiva."