quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Para 2009 - imagem "Triunfo dos Inocentes"

"Ninguém pode conviver sozinho com a beleza que é capaz de perceber.
E quanto a nós, que buscamos o Absoluto, e que construímos um jardim
usando a nossa própria solidão, a Vida deixou-nos a imensa paixão para
aproveitar cada instante, com toda a intensidade."

sábado, 27 de dezembro de 2008

Direito a pensar

Em todas as épocas festivas e de reflexão, redijo, para os amigos e familiares uma mensagem que envio, via telemóvel.

Há 2 anos atrás, recebi, de uma pessoa conhecida, a mensagem que, no mesmo dia, havia enviado para os meus amigos.

O ano passado, já depois do Natal, numa conversa de café uma pessoa disse-me ter recebido uma mensagem muito engraçada de Boas Festas, que depois de lida, constatei ser a minha.

Este ano voltei a enviar uma mensagem pessoal e, um familiar meu recebeu-a de uma outra pessoa passado um dia.

Não sou escritor, pensador ou poeta, até porque como diz o provérbio Chinês “o novo não é nada mais, do que o velho que caiu no esquecimento”. Todavia, julgo que mais do que copiar as mensagens que recebemos, devemos, efectivamente, escrever o que pensamos.

Se por um lado fico satisfeito, por outro entristece-me a preguiça daqueles que sob os adjectivos do tempo, da falta dele ou de qualquer outra razão, não dão mais de si e não se esforçam…

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Para relaxar... ou não...

Após a sanção decretada pela Liga de Clubes, Pinto da Costa resolveu ir a Fátima a pé. Quando lá chegou, ajoelhou-se e perguntou ao Senhor:
-Senhor, será que alguma vez mais o FCP será campeão?
O Senhor esfolhou os arquivos celestiais...
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap... e disse:
-Podes ir em paz. O FCP ainda será campeão por várias vezes durante o teu mandato.
Mal esta notícia chegou ao conhecimento de Filipe Soares Franco, de imediato ele meteu os pés a caminho de Fátima.

Quando lá chegou, ajoelhou-se e perguntou:
-E o Sporting, Senhor?
O Senhor esfolhou os arquivos celestiais...
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap... e disse:
-Podes ir em paz. O Sporting ainda será campeão, mas não no teu mandato.
Mal esta notícia chegou ao conhecimento de Luis Filipe Vieira, de imediato ele meteu os pés a caminho de Fátima.

Quando lá chegou, ajoelhou-se e perguntou:
-E o Benfica, Senhor?
O Senhor esfolhou os arquivos celestiais....
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap,
Flap, Flap... e ao fim de meia hora, disse:
-Sim, sim, sim...
O Benfica ainda há-de ser campeão...
Mas não no Meu mandato!

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Tenho aprendido... versão pessoal...

Aprendi que ninguém é perfeito.
Aprendi que a vida é dura, mas que temos de ser mais que ela.
Aprendi que as oportunidades nunca se perdem, visto que, aquelas que desperdiçamos alguém as aproveita.
Aprendi que quando nos importamos com rancores e amarguras a felicidade perde-se por outros caminhos.
Aprendi que devemos procurar usar as boas palavras, também e porque, amanhã nunca se sabe as que temos de ouvir.
Aprendi que um sorriso é uma maneira económica de melhorar o nosso aspecto externo e de melhorar as relações humanas.

Aprendi que não posso escolher como me sinto, mas posso sempre procurar fazer alguma coisa para melhorar.
Aprendi que quando a minha filha recém-nascida me segurou no dedo da minha mão, me cativou para todo o sempre, pelo amor de pai.
Aprendi que a maioria das pessoas quer viver no cimo da montanha, mas que a felicidade se encontra e se vive durante a subida.
Aprendi que temos de saborear as viagens da vida, com todos os seus percalços e aventuras, e não pensar somente nas chegadas.
Aprendi que o melhor é dar conselhos só em duas circunstancias: quando são pedidos e quando deles depende a vida e a felicidade.
Aprendi que quanto menos tempo se desperdiça mais coisas posso fazer por mim, pelos meus e pelos outros.

Tudo, porque vivo em sociedade e em sociedade sou feliz.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Avaliação de desempenho

O dono de um talho foi surpreendido pela entrada de um cão dentro da loja. Enxota-o mas o cão volta a entrar. Volta a enxotá-lo e repara que o cão traz um bilhete na boca. Apanha o bilhete e lê:

'Manda-me 12 salsichas e uma perna de carneiro, por favor?'

Também repara que o cão tem na boca uma nota de 50 euros. Avia o cão e põe-lhe o saco de compras na boca. Impressionado e, como estava para fechar, resolve seguir o cão. O cão desce a rua, chega aos semáforos e, com um salto, carrega no botão para ligar o sinal verde. Aguarda a mudança de cor do sinal, atravessa a rua e dirige-se à paragem dos autocarros. O talhante estava perplexo! Na paragem, o cão observa o painel dos horários e senta-se no banco, aguardando o autocarro. Chega um autocarro, o cão vai à sua frente verificar o número e volta a sentar-se no banco. Chega outro autocarro e, verificando que era aquele o número certo, entra. E o talhante, de boca aberta, também entra para seguir o cão. Algumas paragens depois, o cão fica em pé nas patas traseiras e carrega no botão de stop, para mandar parar o autocarro e sempre com as compras na boca. O talhante e o cão caminham pela rua, quando o cão parou à porta de uma casa e pôs as compras no passeio. Vira-se um pouco, correu e atirou-se contra a porta. Repetiu o acto mas ninguém lhe abre a porta. Contorna a casa, salta um muro e, numa janela, começa a bater com a cabeça no vidro várias vezes, retornando para a porta. De repente, aparece um tipo enorme a abrir a porta e bate no cão. O talhante corre até ao homem, tenta-o impedir de bater mais no cão e diz-lhe bastante indignado:

'Óh homem, o que é que está a fazer? O seu cão é um génio!'
O homem responde:

'Um génio? Já é a segunda vez esta semana que este estúpido cão, se esquece da chave!'
Moral da história:
Podes continuar a exceder as expectativas, mas a tua avaliação
depende sempre da competência de quem avalia…

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

No reflexo dos meses e dos anos de vida...

Ontem foi dia de 33 anos completar.

Com a amizade dos amigos e daqueles que olham o céu com o mesmo sentido, no horizonte do viver...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

1 de Dezembro

A Restauração da Independência é a designação dada à revolta iniciada em 1 de Dezembro de 1640 contra a tentativa de anulação da independência do Reino de Portugal por parte da Dinastia Filipina, e que vem a culminar com a instauração da Dinastia Portuguesa da Casa de Bragança.