domingo, 28 de novembro de 2010

Porque é o caminho...

Porque é o caminho que conta e faz a história, não é a origem da nossa existência que impede ou determina os passos a dar.

Esses, consolidam-se com os amigos que ao nosso lado, ou junto a nós, reclamam a força para puxar pelo que de bom existe, para solidificar o futuro partilhado.

Nesse caminho, de tempo e certezas que surgem naturalmente em consonância, acrescem as responsabilidades de garantir na mesa dos valores, as éticas que dispensam normativos, face às exigências que se impõem, também, espontaneamente...

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Perderam os ausentes...

No passado sábado, no Cineteatro Municipal de Ourém, e patrocinado pela Embaixada da Indonésia em Portugal, actuou o Grupo de Música e Danças Tradicionais, Ria Agung Nusuntara do Norte da ilha de Sumatra.

Com a presença do Embaixador Indonésio, e de mais de 300 pessoas do concelho de Ourém, assistiu-se a um lato momento cultural, com riqueza e dimensão, avaliado pelas palmas do público e pela satisfação dos protagonistas.

A história que existe entre Portugal e a Indonésia, de mais de 500 anos, não se limita ao percurso dos navegadores portugueses. Partilha-se em mais de 200 palavras, em desejos de intercâmbio cultural, social e económico.

Estas são as novas pontes que consolidam a internacionalização do concelho de Ourém.

Participar nestes momentos, reforçar os laços e sentir a génese de uma cultura do mundo foi um suplemento eclético, sem se ter vivido um ecletismo bacoco (como por vezes ocorre "noutras danças")...

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

(hoje, sem título)

Não estamos, nem estaremos preparados para a morte. Nunca.

Em vida, e depois dela, para os que ficam pesa a saudade presente, o vazio em falta e o limite dos horizontes sobre o pano da existência humana.

Os dias voam, as semanas e os meses dão já 8 anos de silêncio, ao dia de hoje.

No sorriso inocente de uma criança, nos traços genéticos e na memória dos corações permanece o amor…

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Sem estar à espera...

Esta noite, ao passar em frente a um centro comercial, a Leonor perguntou-me se o shopping estava aberto.

Respondi-lhe que sim.

Subtilmente, disse-me que podíamos lá ir.

Perguntei-lhe: para fazer o quê?

Ao que ela respondeu, com aquele jeito feminino: fazer umas compras.

A essência feminina, está, efectivamente, nos genes, que despertam (por exemplo) uma criança de 3 anos...