terça-feira, 5 de janeiro de 2010

De lá vim, e para lá caminharei...

Pior do que não saber o que se encontra por detrás de um processo, de uma estrada ou caminho, de uma vida, é recear e voltar costas.

Fazer é sempre mais difícil do que cingirmo-nos a uma pré-sentença ditada pelo comodismo.

Mas é essa dificuldade – a do fazer – que nos dá a essência da conquista, do prazer de ser e fazer…

5 comentários:

MASC MAFRA disse...

Agora Mestre e Doutorando,
A casa retomando ...

Creio que o seu empenhamento e dedicação ao projecto do ISCAD, só era mesmo superado pela vontade de trabalhar activamente em prol do seu concelho.

Ajudou a afastar "os laranjinhas", agora é importante assumir o seu papel na mudança.

Que melhor Suplemento de Alma que trabalhar com e para as nossas "gentes".

Miguel Ângelo

Jaime Martins disse...

Meu caro João:
Não posso estar mais de acordo!Mas vou um pouco mais longe, pois penso que quanto maior é essa dificuldade, maior é o prazer.Quanto mais obstáculos e tumultos vencidos nessa viagem, mais gratificante é esse prazer.

João Heitor disse...

Miguel.
Há projectos, que abraçados com as convicções aos 15 anos de idade, nos movem por convicções.
E a convicção é uma virtude, quando dela sabemos usar as suas propriedades boas, a favor do que todos podemos conquistar.
Um abraço e boa sorte para o Mestrado, e, a seguir, porque não também o Doutoramento?
:)

João Heitor disse...

Jaime
Há forças, que só com o percorrer as pedras da calçada a que chamam vida, conseguimos alcançar.
Tenho-as alcançado com a ajuda dos meus amigos.
E essa é outra das nossas riquezas.
Um abraço

Maria disse...

O caminho faz-se caminhando...