sábado, 30 de outubro de 2010

Último artigo da coluna "Suplemento de Alma". Até já.

Nesta edição podia analisar os problemas económicos o ziguezague do PSD relativamente à aprovação do orçamento de estado e as dificuldades financeiras, mas, hoje, impõe-se outro tema.

Nesta edição podia enaltecer o rigor e o empreendedorismo dos empresários do concelho de Ourém que continuam a apresentar produtos e resultados de dimensão nacional e internacional, mas, hoje, impõe-se outro tema.

Nesta edição podia referir a fragilidade dos mais desfavorecidos e o dever moral de solidariedade e de justiça entre todos indivíduos com vista à prossecução do apoio a crianças e jovens, à família, assim como a integração social e comunitária. Dever esse que nem sempre se constata no concelho de Ourém, contrariado por quem mais responsabilidades possui, mas, hoje, impõe-se outro tema.

Nesta edição podia destacar a operação de resgate dos mineiros chilenos que tem levado à (re)mobilização sobre o valor da vida humana, mas, hoje, impõe-se outro tema.

Nesta edição podia destacar o vigésimo aniversário da Escola Profissional de Ourém que tem desenvolvido um significativo e relevante trabalho na área do ensino no concelho, afirmando-se regional e nacionalmente, mas, hoje, impõe-se outro tema.

E, depois de ter destacado estes importantes temas (de entre outros), hoje relembro os últimos anos em que nesta segunda página do Ourém e o seu concelho analisei, contestei, projectei, expus e apresentei ideias, projectos e linhas de orientação ao som da batuta do suplemento de alma que me alimenta, me reforça e que emerge do meu ser face às turbulências sociais, políticas, económicas e pessoais, que dia a dia me molham, me aquecem e me gelam.

Sem ter procurado consensos, textos politicamente correctos, “fatos à medida” e mantendo a escrita como a razão da existência da coluna (ao contrário de outros que se limitam a escrever em períodos pré-eleitorais com consequentes desaparecimentos findas as eleições), toquei as teclas das letras, para em texto fazer ecoar a voz de uma geração, de um pensar, e até mesmo de uma ousadia (a da escrita, com o alvo da exposição pública).

Deste espaço e desta coluna nasceu um blogue (http://suplementodealma.blogspot.com) onde me debrucei em outras análises e dimensões da escrita, que geraram controvérsia, sentimento e reflexão.

Impõe-se um agradecimento a todos aqueles que na rua, pela família, via email e de outras formas me manifestaram apoio, incentivo, concordância, e até a crítica (porque da crítica válida retiramos diferentes visões e perspectivas que se tornam em pontos de encontro neste encruzilhar de sociabilidade).

Ao Rui Melo, e a toda equipa da Tipografia Ouriense um abraço de amizade e estima pessoal.

Com toda a alma, que me alimenta o coração e o pensamento, na frontalidade intrínseca que me move e guia termino com um: até já.

Sem comentários: