quarta-feira, 21 de março de 2012

Num outro dia de poesia...

Esquece a poesia Mulher de Deus.
Tu que és brilho e intensidade poética viva.
Correm-te nas veias todas as palavras do Mundo.
Seguram-te o sol e aquece-te a terra quente.

Não comemores este dia Mulher de Deus.
Tu que dás à luz nossos filhos.
Que acalentas o sorrir por cada beijo.
Que alimentas o futuro em teu leito materno.

Poesia, Mulher de Deus e do Mundo.
És nossa mãe em sentir.
És nossa companheira de viver.
És nossa inspiração a escrever.

Poesia num fervilhar de imensidão.
Mulher numa linha de união.
Que Deus soube criar.
Que com Fé o homem quer amar…

São estas e outras as poesias mil,
De encantos e tristezas. Ontem e hoje.
Porque o amanhã, a poesia não pode tocar.
Ela é o sentir presente que a cada dia vou agarrar...

João Heitor

Sem comentários: