terça-feira, 27 de março de 2007

A distância custa...

Olhei o ponto de encontro, daquela paragem onde dois amantes se juntavam, num só, pelo amor e vida portilhada.

Não eramos nós.

Tu estás longe da vista.

Nem mesmo a campainha da chegada do metro me faz mover do banco de madeira em que me sento.

A saudade, que é amiga da distância e cúmplice da tristeza, andam-me a atormentar os minutos em que não penso em ti.

São minutos de horas duras, quando olho a felicidade alheia, e mais intensamente sinto a tua falta...

2 comentários:

Anónimo disse...

Partilhar contigo a saudade,
a tristeza e a dor dos minutos que mais parecem horas longe de ti...
Partilhar tudo e pequenos nadas...
Partilhar a vida,
o amor,
um pensamento,
um poema...
um gesto,
um olhar...
Partilhar contigo cheiros e sabores,
medos e alegrias.
Partilhar momentos de prazer.
Trocar tudo por ti
se for preciso
apenas para que contigo possa partilhar...


Pcmt

João Heitor disse...

Desculpa os momentos que descurei, e que junto a ti não saboreei.
Desculpa o ausentar,
que em ti fiz causar.
Desculpa o magoar,
que não te quero provocar.
Desculpa o meu amor, que só em ti encontra o teu viver...