quarta-feira, 18 de abril de 2007

Divagações sentidas...

Mesmo que uma onda ou uma chuvada desfaça as nossas construções, os nossos sonhos, as nossas aventuras imaginárias, de nada nos vale cruzar os braços.

A força da vontade e da determinação permitem-nos voltar a construir, a sonhar, a galopar sobre a dura realidade da vida, com um brilho nos olhos.

Esse brilho, vem da alma e do coração belo do nosso ser.

Narcisistas? Não. Para amarmos, temos de valorizar a nossa essência!

6 comentários:

Anónimo disse...

Percebi e senti cada uma das tuas palavras...
Como alguém chamado heraclito já dizia, a vida está em permanente devir, pois se assim não fosse não era vida.
Eu sei que tens aquele brilho nos olhos...
Felicidades AMIGO.

Fugitiva

Anónimo disse...

Caros amigos,

"José Afonso", figura ímpar da cultura portuguesa, que trilhou, desde sempre, um percurso de coerência na recusa permanente do caminho mais fácil, da acomodação, no combate ao fascismo salazarista e pela liberdade e democracia, é tema de um selo que está em 5º lugar. Precisamos do voto de todos para que se faça um selo em sua memória e na memória da Liberdade.
Num período de exaltação de valores salazaristas, devemos contrapor com os nossos defensores de Abril!

“Venham mais cinco!!
Traz um amigo também!”


VOTA
[aqui]

Abril, SEMPRE!!

Davide da Costa

João Heitor disse...

Todos temos um brilho nos olhos Fugitiva.
Basta senti-lo com o coração.
Beijo

João Heitor disse...

As músicas de José Afonso retratam um ideal de vida assente em nobres valores que hoje são remetidos para 2 plano.
Fico contente por haver pessoas que ainda os defendem...

loira disse...

A prova de q já sou do século anterior, é q também eu gosto imenso das músicas de Zeca Afonso, José Mário Branco, Sérgio Godinho e todos aqueles q tiveram a coragem de dar a cara antes do 25 de Abril...
Bjocas

João Heitor disse...

Loira.
Tens bons gostos.
Partilhamos mais um sentimento.
O da liberdade...
Beijo