segunda-feira, 4 de junho de 2007

Boa semana!

Há cheiros que não devem ser conhecidos!

Não vá a curiosidade ou a tentação ser mais forte que a vocação…

É que vivemos numa sociedade com crise nos valores…

23 comentários:

Chloé disse...

Estes anuncios da AXE são um espanto!!!

loira disse...

Vai q a dama pode ter a tentação de meter o nariz onde ñ deve...

Bjocas

Anónimo disse...

Se ela tem o nariz tapado, é porque já experimentou...

FUGITIVA

PCMT disse...

Será que não gostou???? ;-)
Beijos

Rosa dos Ventos disse...

A mim cheira-me a chocolate!
Uma grande tentação...

João Heitor disse...

Oh Inês, estes anúncios, são perfumados...
lol
beijo

João Heitor disse...

O nariz loira?
Lol.
Ela não pode é ter o aroma, senão até o nariz dá para crscer...
Beijo

João Heitor disse...

Olha a Fugitiva!
Já experimentou e gostou!
E está com medo de repetir!
Beijo

João Heitor disse...

Oh PCMT.
Olha lá bem para a expressão!
Não está com cara de pecadora!
Como é bom pecar...
Beijinho

João Heitor disse...

Oh PCMT.
Olha lá bem para a expressão!
Não está com cara de pecadora!
Como é bom pecar...
Beijinho

João Heitor disse...

Rosa dos Ventos. Esta já comeu o chocolate todo.
Por isso teve de usar a mola...
Beijinho

Anónimo disse...

Tentações todos temos, mas a verdade é que só cai quem quer, mesmo assumindo o inevitável: "ninguém pode dizer desta água não beberei"... Misturar vocação com tentação é cair num espaço já gasto e de piada fácil que de um criativo e ser inteligente como tu não deixa de surpreender...é que isto de vocação tem muito que se lhe diga e se hoje vivemos uma verdadeira crise de valores é porque as pessoas se esqueceram de que para além de terem de se esforçar por conquistar um curso e um emprego também devem fazer o mesmo no sentido de aprofundar e perceber verdadeiramente qual a sua vocação...
A propósito, devemos conhecer tudo (todos os cheiros...) porque é precisamente o conhecimento e o saber que fazem e concretizam uma autêntica opção vocacional, seja religiosa ou outra...se assim for, não haverá tentação que resista, simplesmente não o chega ser!
Um abraço

João Heitor disse...

Caro anónimo.
As vocações são intrínsecas ao nosso ser.
Mesmo que optemos por caminhos divergentes das ditas vocações que possuímos, ou que nos dizem existirem no nosso ser.
Entre todas elas, religiosas ou não, permite-nos a vida, optar por caminhar paralelamente, lado a lado, e no mesmo sentido, sem chocar com os objectivos finais...
Abraço

Anónimo disse...

Caro João Heitor,
permite-me que insista nesta ideia: terá de ser a pessoa a aprofundar, no conhecimento de si mesmo, aquilo que melhor quer para si e para a sua realização pessoal, pode ser intrínseco mas tem que ser descoberto! tem de haver esforço para o conseguir, aliás como tu fizeste, deixaste de cursar direito e dedicaste-te ao ensino porque descobriste essa vocação, que aliás te é familiar, e muito bem! Por outro lado - e gostava que me esclarecesses... - porque puderei ter interpretado mal - que mal existirá se acaso a minha opção de vida for religiosa, expressão de uma fé adulta e amadurecida num caminho feito à luz de uma realidade libertadora como aquela em que eu creio e na qual eu sou feliz? acaso, por ser assim, estarei a perder algo? terei de me sentir diminuido por não pecar? sou mais "dahh" por ser honesto com as minhas convicções que me ajudam a não cair nas ditas tentações carnais, ou outras?
Por último, só penso é que foi infeliz a tua ideia de associar a crise de valores às tentações de uma religiosa, se calhar (se me permites a sugestão) teria ficado melhor associar essa crise à nossa classe política e governação a começar até pela política local que tu tão bem conheces e que tanto mal tem causado a tanta gente...a propósito, não te tenho visto ultimamente envolvido na defesa e nos trabalhos do teu partido...será que também foste vítima de uma crise de valores "pseudo-socialistas"??...
Um abraço e até breve!

Carlos

João Heitor disse...

Caro Carlos.
Não estou a associar a pessoa ao nome.
Porém, ecredita que não tenho ou tive qualquer intenção contra as pessoas que se dedicam à fé, às convicções que de dentro de si determinam um caminho católico ou outro.
Como batizado, crismado e católico, independentemente da minha fé, não deixo de criticar algumas posições da igreja católica, tal como algumas atitudes de membros desta.
Porém, não confundo o acaso com o todo e vice-versa.
Se relativamente a este post devias ou podias condenar alguém, à priori, seria a empresa AXE que produziu estas imagens.
Em última instância à minha pessoa por lhe ter dado relevância.
Mas, a relevância que lhe dei assenta numa capacidade superior de distinguir a realidade da publicidade.
A tua opção, que muito respeito, é, sem dúvida, cada vez mais escassa, na sociedade e no mundo do capital e da economia, onde o Homem é remetido para segundo plano.
Pelas boas, justas, reais e concretas acções da igreja católica em prol do Homem e da sociedade, contem comigo.
Para todas as outras em que a História já se encarregou de penalizar a igreja católica e os seus protagonistas, não me peçam para a defender.
Em suma, acredita que as minhas convicções religiosas e que me levam a ir rezar a Fátima e a meditar várias vezes, não chocam com os comentários que fiz, nem com a imagem que coloquei.
São patamares diferentes, de diferentes questões.
Quanto à política acredita que não é preciso sermos vistos para existirmos e trabalharmos. Tal como na fé e na religião.
As convicções e o trabalho político não têm de ser mostrados, para que os outros o saibam.
Ou existem, ou não existem.
Eu, durmo de consciência tranquila. Sob a política e sobre as acções, enquanto homem faço e tomo em minhas mãos, por mim e por aqueles que me rodeiam.
No mesmo mundo de desigualdades e injustiças, onde os pobres precisam dos fracos de espírito, mas abastados de riquezas...
Abraço

Anónimo disse...

Caro João,

mas a AXE faz as coisas com um objectivo muito concreto e por isso provoca e estimula o choque e deixa no ar (essa a virtude da boa publicidade) um ar de ousadia e tudo mais o resto fica ao critério de quem vê e lê, outra coisa é vincular de uma forma directa (e isso a AXE não fez, sabiamente e mt bem) o produto ou a imagem com aquilo que caiste na tentação -) de fazer: a crise de valores... quando, se querias falar disto, tinhas tantos e melhores exemplos, mas enfim o blog é teu e quanto a isso...
Desculpa voltar a insistir nisto mas foi esta a única questão que me levou a escrever-te...caso para dizer "não havia necessidadezzz".
O facto de sermos cada vez menos só nos torna mais fortes, também aqui a quantidade não é sinónimo de qualidade e ainda te digo mais, mais vale uma fé esclarecida e como tal assumida do que uma postura passiva e longe do compromisso que se exige a todos aqueles que se dizem e consideram cristãos. Só assim se poderão evitar os tais erros do passado que referiste e mt bem. Assumir a nossa condição de crente e dar-mos exemplo da nossa fé é um exercício que tem tanto de exigente como de belo. Não é fácil, mas é reconfortante.... E olha que a este nível, temos muitos exemplos que podemos até tirar de histórias que conhecemos, e como tal comparar, como por exemplo...a comparação com aquele jovem que dava tudo o que tinha porque acreditava nas suas convicções e mesmo quando lhe bateram com a porta na cara ele conseguiu ter a coragem para se levantar e abrir, ali ao lado, uma janela, um postigo, uma saída. Haja coragem e valores!! Com fé? claro! e porque não?!... Optar pelo caminho fácil não é sinal de esperteza é antes sinal de fraqueza.

Um abraço e até breve.

Carlos

Woman disse...

Uma imagem vale mais que mil palavras... A liberdade de pensamento é a maior riqueza que possuimos. Cada um é livre de fazer as interpretações que quer. Ou será que não???

Que seca de comentários!!

Anónimo disse...

Pois...ó woman, se calhar era melhor ires para blogs que não sejam tão exigentes, talvez o blog dos Morangos com Açucar ou da Floribela...às tantas seria melhor os intervenientes deste blog e em particular deste comentário, que tenho vindo a apreciar com agrado, pedirem desculpa pelo nível do discurso. Enfim...

Guilherme Oliveira

João Heitor disse...

Há cheiros que não devem ser conhecidos!
Não vá a curiosidade ou a tentação ser mais forte que a vocação…
É que vivemos numa sociedade com crise nos valores…
E escrito isto, eis que uma onda de palavras e teorias se desenrolam.
É bom. Sabe bem. Se soubesse teria escrito estas frases em outros post's.
A crise de valores é real. Aquela que os Homens esquecem. São aquele conjunto de referências humanas, que a sociedade estipulou como normais, obrigatórias, invioláveis, sagradas, intocáveis...
Seja na religião, na arte, no espetáculo, no trabalho, nas relações pessoais, na política, no viver...

Os que ontem foram jovens, hoje são homens.
Os que hoje são crianças, amanhã serão jovens.
Os que hoje são homens amanhã serão velhos.
E nesta dialéctica humana, crescemos e morremos com um percurso.
Olhar para o mesmo e orgulharmo-nos da nossa vida, é um sentimento que infelizmente não pode ser sentido por muitos.
E se não é sentido por muitos, é porque as pessoas não fizeram as melhores escolhas, ou não se comportaram da melhor forma.

Também Jesus Cristo nos deixou alguns testemunhos e provas de vida.
E sobre elas, a tolerância e o amor ao próximo são as que mais me tocam.
Um homem livre e de bons costumes como Jesus Cristo, não deixou de abrir janelas, portas, mentes, mudar o mundo...
Seguindo o seu exemplo, e com a humildade de cada um de nós, saibamos perdoar a quem errou.
Saibamos ser perdoados nas nossas falhas ou omissões.
Saibamos ser humanos.
E simultaneamente que saibamos criticar, opinar, provocar, criar e avançar, nesta vida de saber viver em sociedade, onde todos têm sensibilidades, opiniões e questões.
Mas onde todos temos a liberdade de ser... nós mesmos!

Woman disse...

Caro Guilherme Oliveira

Obrigada pela sugestão... Depreendo que já passou pelo blog dos Morangos com Açúcar ou qui ça da Floribela. De facto é bom conhecermos tudo. É sinal de inteligência e sabedoria pois só assim poderemos seleccionar o que de facto tem qualidade.
E nesta linha de pensamento, atrevo-me a dizer-lhe que lamento profundamente que confunda "exigência" com liberdade de pensamento. Enfim...

João Heitor disse...

Woman
Morangos com chantily.
São melhores e dá para brincar...

João Heitor disse...

Guilherme
São as conversas e trocas de opiniões que nos fazem crescer, aprender, encarar novas prespectivas...
Cumprimentos

loira disse...

Realmente estou com a woman q seca, este senhor ñ sabe q a grande maioria das pessoas q seguem ums religião são uns completos frustrados? Bolas é preciso ser chato e quadrado, ñ é por ser católica q ñ sei ver onde está o egoismo e a falta de coragem das pessoas q se escondem por detraz da religião para se armarem em santos.Deve ser dificil encontrar religiosos q ñ tenham tido tentações carnais q resultaram em filhos. Filhos esses q mto provavelmente serão outros frustrados porque eram discriminados e escondidos da sociedade.
Deixe de ser hipócrita e de criticar alguém q tem a coragem q hoje em dia falta a mto português.
Foi para haver liberdade de expressão e de opinião q existiu o 25 de Abril de 1974 e q provavelmente o senhor nem sabe q existiu...

Força João para combater a hipócrisia, bjocas